Pais de estudantes da Escola Municipal Amazonas, em Santana, município a 17 quilômetros de Macapá, estão denunciando a situação precária em que a instituição se encontra. De acordo com relato feito pelo aplicativo Tô na Rede, excesso de goteiras, acúmulo de lixo e presença de bichos no forro são alguns dos problemas enfrentados pelos cerca de 860 alunos.

De acordo com Abdorel Neto, responsável pela Rede Física e Patrimônio da Secretaria Municipal de Educação de Santana (Seme), a equipe já está ciente das necessidades da instituição e até esta sexta-feira (1º) os reparos devem ser feitos.

“Já foi feito a limpeza e capina da área externa e interna da escola, iremos agora ver com a Secretaria de Obras uma caçamba para fazer a retirada desses entulhos. Com relação as salas de aula com goteiras, foi alguns capotes que se afastaram. Esses capotes vão retornar para o local e vai ser feito reparo nos telhados para também ser retirado cupins e pombos”, informou Neto.

A preocupação dos pais ocorre por conta da proximidade do retorno das aulas na escola, que deve acontecer no dia 7 de março. Marivânia Balieiro, de 37 anos, mãe de uma aluna do terceiro ano, relata que o teto do refeitório está com perigo de cair e as goteiras provocam alagamentos nas salas de aula.

“No refeitório o teto tá meio inclinado, tenho muito medo que ali aconteça alguma tragédia porque é uma área que as crianças ficam bastante. Na sala que minha filha estuda tem um buraco no teto, quando chove cai água dali e alaga toda a sala de aula”, conta Marivânia.

Abdorel Neto justificou a situação do refeitório dizendo se tratar de um “esteio” que teria “arriado”, por isso a inclinação do teto. Ele disse que o processo de compra da madeira e telhas já está sendo realizado para ser feito a manutenção do telhado, também na sexta-feira (1º).

Ainda segundo Marivânia, desde quando a filha começou a estudar na escola, há dois anos, ocorre as precariedades.

Neto contou existir um projeto de reforma e ampliação da estrutura do local, porém o Município está na fase de captação de recursos, via emendas de parlamentares federais, para viabilizar a obra.

A Escola Municipal Amazonas existe há 63 anos, nesse período já foram feitas duas reformas no local, de acordo com a Seme. Atualmente, a instituição funciona em três turnos, com turmas do 1º ao 9º ano do ensino fundamental.

Fonte: G1