O titular da Secretaria de Justiça de Cidadania (Sejuc), coronel da Polícia Militar Ronan Marinho, afirmou nesta quinta-feira (31) que as instituições de segurança do estado estão em guerra com facções criminosas que atuam dentro e fora dos presídios de Roraima.

De acordo com ele, as forças de segurança estão preparadas para agir caso as organizações queiram cometer atos criminosos contra a população do estado.

Marinho citou a revista feita na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo nessa quarta-feira (30), que teve com um dos objetivos prevenir qualquer ação danosa proveniente de facção.

“A Polícia Miitar sabe a força que tem. E a Sejuc está se preparando para mostrar sua força. Estamos numa guerra declarada. Há pessoas fora do sistema prisional que estão cooperando com eles [integrantes de facção], que já foram presas e outras ainda irão”, afirma.

“Nos antecipamos e damos um ‘cascudos’ neles [integrantes de facção]. Esse é o sentido da guerra. A polícia trabalha dentro da lei, que nos autoriza a usar força, sendo moderada, proporcional contra aquele que amedronta e ameaça. Se declaram que são assim, vão provar da nossa capacidade. Não tem ‘cabra’ manso [na polícia]”, acrescenta.

Segundo declarou, a pessoa que que cooperar com a organização criminosa será alcançada pelo estado. “E se tiver confrontação vamos com tudo para cima deles [criminosos], porque a polícia defende a sociedade, protegendo o cidadão”, diz.

Para o secretário Marinho, as facções espalham boatos fazendo ‘terror coletivo’. Ele diz ser necessário uma antecipação contra a qualquer ato dos integrantes de facção.

“Porque eu não vou me preparar, antecipar? Eu acredito em tudo. Do boato até a informação concreta, eu vou checar. Não podemos ser surpreendidos. Eu tenho que surpreender, me antecipar. Essa operação [revista na penitenciária] teve esse papel”, explica.

Fonte: G1