Homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar deram apoio ao cumprimento, no início da manhã desta quarta-feira (2), a um mandado de reintegração de posse de um terreno da Prefeitura de Belém, no bairro do Jurunas. Houve resistência dos moradores e os policiais garantiram a integridade física do oficial de Justiça designado para cumprir o mandado, dos ocupantes da área e demais envolvidos na operação.

O terreno fica localizado na avenida Bernardo Sayão com a travessa Quintino Bocaiúva. Segundo a PM, cerca de 400 famílias ocuparam irregularmente o espaço há cerca de um ano.

A medida atende à solicitação do juiz da 5ª Vara de Fazenda Pública da Capital. Ao todo, 234 agentes de segurança do Estado e do município foram mobilizados para a operação.

Os moradores do local chegaram a fazer uma barricada e atearam fogo em entulhos para impedir a desapropriação. Por causa da manifestação, o trânsito ficou interditado na avenida Bernardo Sayão.

Homens do Corpo de Bombeiros foram acionados para apagar as chamas e liberar caminho para a entrada da PM. Houve tumulto no cumprimento da ordem judicial. Uma pessoa foi presa e uma casa pegou fogo.

Segundo a Prefeitura de Belém, a área que será reintegrada vai dar lugar a um conjunto residencial com 96 blocos, 547 unidades habitacionais e toda infraestrutura de abastecimento de água e esgoto, iluminação pública e lazer para atender famílias de baixa renda cadastradas pela Secretaria de Habitação de Belém.

O projeto é destinado a famílias remanejadas de parte do bairro do Jurunas, áreas do Portal da Amazônia e da macrodrenagem da Sub Bacia II da Estrada Nova e também do Promaben que, inicialmente, consistia no Projeto de Urbanização da Sub Bacia II da Estrada Nova, porém, houve migração para o Projeto Minha Casa Minha Vida.

Para as famílias que ocupam a área, atualmente, a prefeitura diz que disponibiliza a oportunidade de inscrição no Programa Minha Casa, Minha Vida, que já tem 9.400 unidades habitacionais a serem entregues.

Fonte: G1