Ação ocorreu na manha desta segunda-feira. É a segunda etapa da investigação policial, que começou em 20 de setembro com a prisão temporária de um funcionário da deputada Telma Rufino (Pros), indicado por Fernando Fernandes, do mesmo partido

Na primeira etapa da operação, em 20 de setembro, um funcionário do gabinete da deputada Telma Rufino (PROS) foi preso preventivamente. A deputada não é investigada(foto: Divulgação/PCDF)

A Polícia Civil cumpriu quatro mandados de busca e apreensão durante uma operação que investiga oito pessoas envolvidas em esquemas de “rachadinha”, prática em que funcionários de gabinetes devolvem parte do salário para o contratante, na Câmara Legislativa do Distrito Federal.

A ação policial ocorreu na manhã desta segunda-feira (2/12) no Plano Piloto e no Gama, por meio da Coordenação Especial de Combate a Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor/Draco).
Operação Escalada é o desdobramento da primeira fase da ação policial ocorrida em 20 de setembro, com o cumprimento de uma prisão temporária e dois de busca e apreensão, expedidos em desfavor de um funcionário lotado no gabinete da deputada distrital Telma Rufino (Pros).
Na época, o funcionário foi preso suspeito da prática de tráfico de influência e de delitos de falsidade ideológica, entre outros crimes, ainda em apuração. De acordo com a Polícia Civil, ele se valia do cargo que ocupava e abusava da confiança que lhe foi depositada. A corporação esclareceu que não haviam indícios de participação da deputada nas condutas investigadas.
A suspeita é que o funcionário tenha começado as atividades por ajustes de outro deputado do mesmo partido, Fernando Ferndandes (Pros), que segue em investigação.