A Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas (RBCIH) lançou nesta sexta-feira (3) na Campus Party 2017 um conjunto de indicadores para avaliar quão próximo um município está de se tornar uma “cidade inteligente”. A organização reúne os 350 maiores municípios brasileiros e faz parte da Frente Parlamentar que trata do tema no Congresso.

São 202 indicadores, divididos em quatro grandes eixos temáticos:

  • Governança (que avalia desde como a cidade promove a participação pública, até a transparência em informar a população e ferramentas democracia digital);
  • Arquitetura, urbanismo e antropologia;
  • Tecnologia (que vai mensurar a capacidade de conectividade do município até a forma como o ensino de ferramentas digitais é tratado em sala de aula);
  • Segurança (que vai incluir as taxas de criminalidade e gestão de emergência).

Com base nesses itens, a RBCIH vai elaborar um ranking das cidades mais inteligentes do Brasil. “Por que fazemos isso? O prefeito vive de votos. Com a cidade posicionada em um ranking, ele vai ser cobrado”, explica André Gomyde, presidente da RBCIH.

Criada em 2014, a rede é composta por secretários de ciência, tecnologia e inovação, ou de desenvolvimento econômico das mais de trezentas cidades associadas.

Segundo Gomyde, na próxima Campus Party, a organização já apresentará os primeiros resultados. Além disso, também trará ações para melhorar a implantação de conceitos de cidades inteligentes.

Fonte: G1