O Remo anunciou uma reformulação no Nação Azul, o programa de sócio-torcedor do clube. De acordo com o presidente remista Manoel Ribeiro, a alteração aconteceu em razão da queda do número de adimplentes e para que a diretoria tenha outra opção, além da arrecadação com a bilheteria, para sanar as dificuldades financeiras. Os planos sofreram alterações significativas nos valores e a torcida não recebeu as mudanças de maneira positiva.

Segundo Manoel Ribeiro – que concedeu uma entrevista coletiva nesta semana para falar das alterações no Nação Azul e anunciar que a empresa responsável pela confecção dos ingressos da equipe também passará a gerenciar o programa – o Remo tem 12 mil sócios cadastrados, entretanto, apenas cerca de 1.250 estão com as mensalidades em dia.

– Estamos reformulando o sócio-torcedor para que a gente não fique em situações difíceis como a de agora. O Remo parou de jogar em outubro, e em novembro os sócios todos desapareceram. Queremos que ele contribua o ano todo, não somente quando o Remo joga. Espero que toda torcida do Remo venha se associar, para que a gente possa garantir um time regular. A situação financeira é grave, estamos trabalhando para tirar o clube dessa situação. O que traz o sócio torcedor para o Nação Azul é o time do Remo. Se essa equipe estiver ganhando, mostrando que está ali para suar a camisa, o sócio-torcedor vem com ele – falou o dirigente.

O plano Leão Ouro – um dos que tem os maiores números de adesões em razão de garantir acesso integral às arquibancadas nas partidas em que o time for mandante – iniciou custando R$ 50. No ano passado, foi elevado para R$ 60 e, no anúncio da reformulação, passou para R$ 100. Para efeito de comparação, o plano similar no maior rival, Paysandu, tem o valor de R$ 60.

No jogo entre Remo e Pinheirense, realizado na última quarta-feira, no Mangueirão, pelo Campeonato Paraense, a torcida protestou contra os aumentos. Além dos cantos habituais de apoio, os azulinos gritaram frases como “Não é mole não, tem que ser rico pra ser sócio do Leão” e “Eu sou povão. Não aumenta!”.

A estudante Andreza Marinho, de 20 anos, falou, em entrevista ao GloboEsporte.com, que era sócia do Remo no Leão Ouro quando o plano custava R$ 50 e que parou de participar do programa remista após a primeira alteração. Segundo ela, em muitos momentos será mais vantajoso à torcida comprar o ingresso individual para cada confronto do clube.

– Acho um valor abusivo, visto que não vamos fazer uso do total. Por exemplo, terão meses que iremos apenas para dois jogos, sendo ambos com ingressos no valor de R$ 30. Devemos pagar uma quantia que valerá a pena não só para o clube, como para o torcedor. Sabemos que essa reformulação foi feita para ajudar o clube, mas o mesmo tem que ter consciência de que nem todo torcedor tem como desembolsar R$100 ao mês. Eu mesma não tenho, já que sou estudante. Gostaria muito de ajudar o Remo, como fazia quando era cobrado R$ 50.

Pressionada pelas críticas, a diretoria do Remo anunciou, no final da manhã desta sexta-feira, novas mudanças no Nação Azul, diminuindo os valores de alguns dos planos. O Leão Ouro caiu para R$ 90. Andreza Marinho acredita que, mesmo com a diminuição, o preço ainda é considerado elevado.

– Não é uma grande diferença. Ainda assim, não veremos o investimento conosco, torcedores, só para o clube. O sócio-torcedor precisa ser um programa de mão dupla, o qual vai ajudar o torcedor e o clube. Estávamos fazendo o nosso papel de pagar a quantia que era cobrada, lotar o estádio, torcer em todas as situações do Remo. Mas desse jeito, dificultará para o torcedor. Se tivéssemos essa quantia, já teríamos aderido a um plano melhor do clube.

Sócios adimplentes dos planos antigos continuarão pagando o mesmo valor. O benefício também se estende para os torcedores que estão em débito, independente do período. Para regularizar a situação, é preciso comparecer a um dos pontos de atendimento do Nação Azul, no período de 6 a 11 de fevereiro. Novas adesões poderão ser feitas a partir da próxima segunda-feira.

Confira os valores dos novos planos do Nação Azul:

Ferinha (crianças com até 12 anos): R$15 mensais

Leão Pelo Mundo: R$20 mensais- 50% arquibancada ou cadeira para um ingresso ao mês

Fenômeno Azul: R$45 mensais – 50% arquibancada e cadeira em todos os jogos

Leão Ouro: R$90 mensais – acesso integral aos jogos para arquibancada. Plano Semestral (10% de desconto.): R$81. Plano Anual (20% de desconto): R$72

Leão Diamante: R$120 mensais – acesso integral aos jogos para cadeira. Plano Semestral (10% de desconto.): R$108. Plano Anual (20% de desconto.): R$96

Leão Olímpico: R$120 mensais – acesso integral aos jogos para arquibancada ou cadeira. Plano Semestral (10% de desconto.): R$108. Plano Anual (20% de desconto.): R$96.
*Toda a receita líquida será destinada ao departamento de esportes olímpicos.
*Sorteio de produtos mensalmente.

Fonte: GE