sub16Em um  dia de decisão no Estádio Aluízio Ferreira, que favoreceu a equipe de Porto Velho, o Rondoniense enfrentou Espigão pela final do Campeonato Juvenil, na noite quarta-feira, 2°, e nas cobranças de pênaltis conquistou o título. Após ter perdido no jogo da semifinal, com o placar de 2 a 0, em casa marcou 3 a 1.

Pablo balançou a rede do Azulão, marcando gol para Periquito, ainda no primeiro tempo e no segundo, mais uma atuação de Pablo resultou no segundo gol, seguido de Bruninho que fez o terceiro.

Espigão marcou um gol dentro da partida. Robson foi quem balançou a rede, mas o placar já estava com grande diferença. Com o placar, o jogo foi aos pênaltis, e mais uma vez, o Rondoniense não perdeu oportunidade e marcou três gols, enquanto o Azulão marcou apenas um gol.

Os atletas, Brutinho, Gabriel e Wendel Leal marcaram os pênaltis do Rondoniense, e Lucas foi quem marcou o Espigão. A torcida do Periquito se fez presente encorajando a equipe de Porto Velho, enquanto o Espigão buscava a bola para abrir a vantagem em cima do Rondoniense.

O goleiro Willian se destacou no jogo, buscando bolas e bloqueando a entrada das bolas do Azulão. Outro problema do Espigão no jogo da final foram a finalizações, com passe de bola marcado, e jogadas planejadas, as finalizações ficaram deixaram a desejar, resultado em apenas uma marcação de gol.

Marcos Cruz, técnico do Rondoniense explica que desde o primeiro jogo visava o título, e que a intensão era jogar e se superar em campo, mesmo que não tenha sido invicto.

– Nosso foco sempre foi o título, assim como das outras equipes. Não tivemos a pretensão de sair invicto do campeonato, tanto que fomos crescendo a cada jogo, e graças ao empenho  e união dos meninos, hoje conquistamos nosso sonho.

sub161O técnico do Espigão Devair Silva comenta que o vice-campeonato foi recebido com muita gratidão, mas reconhece que a garra e gana de um jogo da final ficou a desejar por seu time.

– Mesmo pontuando alguns erros, e trabalhando como motivador dos atletas, o título não veio, não sei se foi pela vantagem que tínhamos do jogo em casa, os atletas ficaram mais descansados. Faltou o espírito de uma final, e acredito que a dedicação faz a diferença em campo.

Devair ainda explica que mesmo com o vice-campeonato a equipe tem grande técnica, com bons jogadores e isso faz a alegria de ter chegado tão longe, digna de ser comemorada.

– Enfrentamos grandes times, pegamos o Rondoniense que é uma equipe forte e bem preparada e não deixamos a desejar, o título de campeão não veio, mas comemoramos pelo grande trabalho que realizamos durante o campeonato.

 Fonte: GE