Para diminuir o tempo de espera e também o deslocamento de pacientes do interior do Acre, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) decidiu implantar o sistema de Regulação de Cirurgias e a Central de Leitos no estado. A partir de 15 de julho, todos os agendamentos de procedimentos cirúrgicos devem ser feito na central vai que vai funcionar no prédio administrativo do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), na Avenida Ceará, em Rio Branco.

A coordenadora do Samu, Lúcia Carlos, explica ainda que médicos reguladores devem criar um mapa para verificar há quanto tempo o paciente aguarda pela cirurgia e também o grau de prioridade.

“Os médicos reguladores vão ter esse olhar clínico para ver a gravidade dos casos e definir as prioridades. Antes, isso, era feito por uma pessoa que não tinha esse conhecimento. Essa equipe não é formada pelos médicos reguladores do Samu, mas da Central de Leitos”, explica.

Em junho deste ano, o governo anunciou a criação de uma “Fila Única de Cirurgia” para acabar com a espera dos pacientes. Com as mudanças, os médicos vão poder ultrapassar as cargas horárias e receber remuneração adicional pela realização de mais cirurgias. Para colocar o plano em prática e acabar com a demanda reprimida, a Sesacre anunciou o investimento de R$ 5 milhões.

A coordenadora explica que o agendamento era feito pela Central de Agendamento de Cirurgias (CAC), no Hospital das Clínicas. O objetivo da migração, segundo ela, é evitar deslocamentos dos pacientes na capital e interior, pois, essa é uma das maiores reclamações registradas no setor.

No novo sistema, o paciente sai da consulta, faz o cadastro ainda no hospital e a informação é encaminhada para o banco de dados. A equipe da Regulação de Cirurgias vai incluir a pessoa no mapa e uma das três telefonistas da Central de Leitos deve avisar o paciente quando todo o procedimento cirúrgico dele já estiver pré-agendado.

Os usuários também podem entrar em contato pelos telefones 3222-8177 e 3244-1517 para tirar dúvidas sobre datas e preparação para exames.

“O cadastro é feito ainda no Hospital das Clínicas quando o paciente sai da consulta e é repassado para o sistema que vai funcionar nesse prédio. A informação anda, mas o paciente não precisa ir até a regulação, ele só aparece no dia do exame ou da cirurgia já pré-agendada para ficar no centro cirúrgico”, esclarece.

Fonte: G1