Para muitas pessoas, junho é um mês de despreocupação por causa das férias. Mas para o Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap) é o inverso, pois é o período em que o estoque de sangue diminui significativamente. Pensando nesse problema, a entidade realiza campanhas para pedir doações e não comprometer a demanda de hospitais no mês de julho.

De acordo com o diretor do Hemoap, Sávio Guerreiro, o ideal seria ter uma média de 100 doações por dia para fazer os atendimentos tranquilamente. Porém, a média é de 60 doações diárias, o que faz com que o homocentro atue no limite de fornecimento.

A preocupação da instituição aumenta com uma possível falta de estoque no período de férias, porque as doações caem cerca de 20%.

“O volume de doações tradicionalmente diminui no período de férias de julho e no fim de ano, porque muitos doadores viajam e também tem as festas, onde consomem bastante bebida alcoólica e no dia seguinte não podem doar”, comentou Guerreiro.

O diretor ressalta também que, se o Hemoap ficar três dias sem coletar, podem faltar componentes do sangue como as plaquetas que têm o tempo curto de vida útil. A convocação busca chamar atenção de doadores fiéis e pessoas interessadas em colaborar com o estoque.

O sangue doado é usado para atender pessoas vítimas de acidentes, que precisam fazer transfusão ou cirurgias. O estudante Robson Borges é voluntário frequente e acredita que doar é um gesto de amor. Para ele, a atitude representa compaixão.

“A gente nunca sabe quando vamos precisar. Quem sabe amanhã possa ser a gente que esteja precisando. Ajudar as pessoas significa que você acredita que quando precisar, alguém vai ter compaixão e amor ao próximo e ajudar você também”, disse o estudante.

Doações

O voluntariado sem direcionar a alguém é a doação mais segura, segundo o diretor. Os tipos sanguíneos com maior necessidade no Hemoap são “O+”, que é o mais comum, e o “O-” por ser a tipagem considerada universal com relação à compatibilidade.

As doações podem ser feitas de segunda-feira a sexta-feira, de 7h30 às 12h, no Hemoap, localizado na Avenida Raimundo Álvares da Costa, esquina com a Rua Jovino Dinoá, no Centro de Macapá. O doador precisa levar documento de identificação com foto.

O Ministério da Saúde estabelece que, para ser um doador, o voluntário precisa ter idade mínima de 16 anos e máxima de 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica no dia anterior e não ter doenças sanguíneas. O doador passará por triagens clínicas e sanguíneas, precisa estar alimentado e a coleta dura em torno de 20 minutos.

Fonte: G1