Depois do que se viu no final do ano, por parte das prefeituras, que decidiram não promover as festas da virada, a tendência de economizar deve ser seguida pelos novos gestores que assumiram os seus mandatos na região Central do Estado. Das 15 cidades que compõem a região, somente Ouro Preto do Oeste realizou a tradicional Festa da Virada, mas o evento não contou com recursos da prefeitura. Quem tomou a frente da organização e realização do evento foi a Associação Comercial e Industrial (Aciop).

A cidade de Ji-Paraná, que na gestão do prefeito Jesualdo Pires (PSB) e que foi foi reeleito, decidiu trazer de volta a realização de eventos de entretenimento à população, também optou pela economia, não realizando a festa popular da passagem de ano. E, ao que tudo indica, o Carnaval também ficará sem ser realizado. A assessoria de imprensa da prefeitura, por mais que a situação ainda não tenha sido discutida pela Fundação Cultural e pela Secretaria Municipal de Governo, a tendência é a de não realização do evento neste ano.

O mesmo se repete com as cidades de Ouro Preto, Urupá, Alvorada do Oeste e os demais municípios e distritos do entorno. Em muitos desses municípios os novos gestores já iniciaram o mandato cortando secretarias, exonerando comissionados, tudo para reajustar o orçamento e não serem punidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), assim como para poder sobrar recursos para que investimentos nas áreas de competência da gestão municipal possam ser feitos e, assim, dar o mínimo de retorno aos votos de confiança que receberam dos munícipes votantes.

Vale do Jamari 

A cidade de Ariquemes, que é a cidade referência da Região do Vale do Jamari, ainda não discutiu a possibilidade. Mas as demais cidades menores da região, já deram o indicativo de que os recursos serão destinados para outros fins.

Mais regiões

Na região do Cone Sul, Vilhena, a cidade principal, já confirmou que o Carnaval não será realizado. O anúncio foi feito pelo presidente da Fundação Cultural da cidade, Djavan Santos, na última quinta-feira (05). “Ao que tudo indica, a tendência também será seguida pelas cidades de Colorado do Oeste, Cabixi, Cerejeiras e pelas demais”, crê o presidente da Fundação.

Fonte: Diário da Amazônia