sequestroO advogado Frederico Carlos Lepesteur Junior, 36 anos, foi vítima de um sequestro-relâmpago na madrugada de quinta-feira (10), em Cuiabá, quando levava seu primo para o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, por volta das 2h20, eles estavam em uma Hilux branca, na altura da Avenida Tenente Coronel Duarte, quando foram fechados por uma Saveiro branca.

A ação teria ocorrido próximo à Central de Ocorrências da Polícia Civil.

Quatro pessoas estavam no veículo – três homens e uma mulher. Eles abordaram as vítimas, anunciando o roubo.

Um dos bandidos tomou a direção da caminhonete e dirigiu até a entrada de uma fazenda, no município de Porto Esperidião (326 km a Oeste de Cuiabá), na fronteira com a Bolívia, onde as vítimas foram abandonadas.

Lepesteur Junior e o primo, identificado como Bruno Gomes, de 27 anos, foram amarrados e ficaram no local por cerca de três horas.

Nesse tempo, os bandidos ainda tiraram o rastreador do veículo e fugiram.

Foram levados ainda R$ 350, uma aliança, documentos e um notebook.

Segundo uma das vítimas, assim que chegaram próximo à região de Cáceres, um dos bandidos teria dito “que bom que chegamos na minha cidade. A partir de agora não há mais barreira, só blitz”.

O caso foi registrado na Delegacia de Porto Esperidião e será investigado pela Polícia Civil.

O advogado é filho do ex-coronel Frederico Lepesteuer,  que chegou a ser preso na Operação Arca de Noé, em 2002, por envolvimento com o ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro. Lepesteur morreu em 2007, vítima de câncer, aos 58 anos.

Fonte: Mídia News