roverSob suspeita de comandar desvio de recursos públicos estimados em mais de R$ 4 milhões, conforme o procurador-geral de Justiça do Estado, Airton Pedro Marin Filho, o prefeito de Vilhena, José Luiz Rover (PP), foi preso ontem durante a Operação Áugias da Polícia Federal em paceria com o Ministério Público do Estado de Rondônia (MPRO) contra um esquema de propina e lavagem de dinheiro no município e região. Também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, um deles na prefeitura, além de sequestro de bens, incluindo imóveis, contas bancárias, veículos, estabelecimentos comerciais e até dois hotéis em nome de parentes do prefeito Rover.

Em nota, a Superintendência da Polícia Federal explica que a Operação Áugias é um desdobramento direto das Operações Stigma e Ficus, que levaram à prisão secretários municipais, empresários envolvidos em crimes de corrupção e organização criminosa cuja atuação se dava na cúpula da administração municipal local. As investigações foram iniciadas com a descoberta de desvios da secretaria de comunicação e falsificação de documentos, contratos e comprovantes de pagamento que seriam entregues às autoridades policiais a fim de acobertar os crimes de propina e lavagem de dinheiro praticados de 2010 a 2016.

Rover responderá pelos crimes de falsidade ideológica, fraude à licitação, lavagem de capitais corrupção passiva, crime de responsabilidade, entre outros, como o esquema fraudulento de aprovação e regularização de loteamentos, mediante pagamento de propinas a vereadores e ex-secretários municipais, que já resultou na prisão do vice-prefeito Jacier Rosa Dias (PSC) e de cinco vereadores: José Garcia (DEM), Vanderlei Amauri Graebin (PSC), Carmozino Alves Moreira (PSDC), Junior Donadon (PSD), então presidente da Casa, que renunciou ao mandato; e Antônio Marco de Albuquerque (PHS), o Marcos Cabeludo, enquanto outros dois estão foragidos: Jaldemiro Dedé Moreira (PP), conhecido por Jairo Peixoto; e Maria Marta José Moreira (PSC).

O nome Áugias foi inspirado na Mitologia Grega, e faz referência a um dos feitos de Hércules, que realizou um extraordinário trabalho de limpeza.

Procurador assume município e câmara faz sessão

Com a prisão do prefeito José Rover e do vice Jacier Rosa Dias, o vereador reeleito Célio Batista (PR) estava cotado para assumir a prefeitura por ordem de hierarquia, mas quem assumiu interinamente foi o procurador do município, Carlos Eduardo.

Também ontem, tomaram posse os suplentes de vereadores Hernando Lucena (PTB) e Francis Godoy (PSC). Outros dois têm posse prevista para hoje: Elza Magalhães, a Elza Saúde (PSD), e Pastor Francis (PRB), completando o quórum de sete vereadores para aprovação de projetos prioritários.

Com a posse desses dois últimos, o presidente Célio Batista anunciou para as 8h sessão extraordinária para colocar em apreciação e votação de projetos importantes que estavam emperrados por falta de quórum. Entre eles, estão parte do pagamento do mês de outubro dos servidores públicos municipais da área de saúde, o pagamento do transporte escolar e faturas de energia elétrica das escolas municipais.
Pelo regimento interno do Legislativo, para que haja quórum e os projetos votados, são necessários seis parlamentares, além do presidente do Legislativo. Neste caso, Célio Batista só participa dentro do critério de desempate.

Fonte: Assessoria