Redação


Felipe da Silva Rocha, 20 anos, foi preso temporariamente na manhã desta terça-feira (12), por policiais civis do Município de Candeias do Jamari, coordenados pelo delegado Valney Calixto, acusado de ter estuprado e assassinado a idosa Ângela Cortes de Moraes, 62 anos, dentro de sua própria residência localizada na região central de Abunã, distrito de Porto Velho. A crime aconteceu no dia 10 de agosto deste ano.

Segundo a diretora do Departamento de Polícia Metropolitana delegada Rosilei de Lima, antes do crime, durante a noite, a idosa chamou o avô do criminoso, que mora ao lado da casa dela, e relatou que tinha ouvido um barulho do lado de fora de sua residência. “O idoso então, fez uma ronda no quintal da vítima, mas não encontrou nada. Depois de um tempo, ele retornou à casa da idosa, chamou por ela, mas Ângela não respondeu. Foi aí que ele procurou um familiar da vítima, contou o relato e disse que não estava conseguindo contato com ela”, esclareceu a delegada.

Segundo a Polícia, alguns minutos depois, a neta da vítima foi até a casa, e percebeu que a tela de proteção da janela da residência estava cortada. Ela então, pulou a janela do imóvel, seguiu ao quarto e encontrou a avó morta, seminua e com marcas de agressões. A Polícia Militar registrou o caso.

Após serem acionados, o delegado do distrito de Nova Mutum-Paraná, Valney Calixto, juntamente com sua equipe de investigadores iniciou as investigações.

Durante as diligências, testemunhas contaram para a Polícia, que teriam ouvido o criminoso chamar outras pessoas para cometerem um furto na casa da idosa. As investigações avançaram, e Felipe chegou a ser ouvido na delegacia. Os policiais descobriram, que o assassino levou aproximadamente R$ 2 mil da idosa.

Exames do Instituto Médico Legal (IML), confirmaram que Ângela foi estuprada e teve a morte causada por trauma raquimedular. Peritos colheram material genético da vítima e do assassino, e teve resultado positivo como sendo o de Felipe, o DNA encontrado no corpo da idosa. “O trabalho dos peritos e da Politec foi muito importante para ajudar a chagar no autor do crime”, enfatizou a delegada.

Após o resultado positivo dos exames, o delegado Valney Calixto representou pela prisão temporária do criminoso, e a Justiça concedeu. Preso, ele negou ter participação no crime e disse que estava dormindo no dia da morte da idosa, mas para a Polícia as provas colhidas confirmam a participação dele no crime. As investigações continuam, para saber se houve a participação de outras pessoas.

Os policiais constataram, que a idosa chegou a entrar em luta corporal com o criminoso antes de ser morta. “Ela tinha várias lesões pelo corpo e por isso leva a crer que a vítima foi agredida”, disse Rosilei de Lima.

Agora, o criminoso será encaminhado para o presídio da capital, onde ficará à disposição da justiça.