Cerca de 13 mil famílias, que recebem o benefício do Bolsa Família e que ainda não realizaram os exames exigidos pelo programa para continuar recebendo o auxílio, devem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de Macapá a partir desta quarta-feira (13) para fazer a “pesagem”, que é uma das condicionantes. O público alvo da ação são mulheres de 14 a 44 anos e crianças de 0 a 7 anos.

Na capital, um total de 30 mil famílias recebem o benefício. Dessas, 13 mil ainda não fizeram os exames de saúde exigidos, segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semast). As famílias que não comparecerem para a pesagem poderão ter o benefício suspenso.

Os recém-nascidos e as crianças devem ser pesados, medidos e ter o calendário de vacinação atualizado. As mulheres também devem ser pesadas e, caso esteja grávida, realizar o pré-natal adequadamente.

A Semast explica que essa checagem de saúde é feita a cada 6 meses e é um compromisso das famílias que integram o programa e do poder público para ampliar o acesso dos beneficiários a direitos sociais básicos.

“Quando o benefício é suspenso a pessoa não recebe o retroativo e acaba tendo um prejuízo no orçamento familiar. A gente entende que esse é um recurso para quem realmente precisa, principalmente para a manutenção do filho na escola, mas quem não fizer o acompanhamento vai ter o benefício suspenso ou cancelado, caso não procure se readequar”, explica Lucas Abraão, titular da Semast.

O processo é monitorado pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério do Desenvolvimento Social. A próxima etapa está prevista para ocorrer no início do ano letivo e será a avaliação educacional, relacionada à frequência escolar.

Os usuários que tiverem o benefício cancelado pelo descumprimento de condicionantes precisam de dirigir até o setor do Bolsa Família, que em Macapá funciona na Central do CadÚnico, na Rua General Osório, nº 329, no bairro Laguinho. O valor da Bolsa Família é de R$ 39 por criança e R$ 46 por jovem.

Fonte: G1