Apesar de causar falta de água e até racionamento em algumas cidades, o período de estiagem está facilitando o escoamento de produtos agrícolas de origem familiar em Cruzeiro do Sul.

Melancia, mamão, banana e laranja são alguns dos alimentos que deixam os mercados mais coloridos ao chegar no município em maior quantidade.

“Chegam mais produtos do que no inverno. No inverno os produtos ficam mais caros e agora no verão saem mais baratos e aproveitamos”, afirma a vendedora Irací Fernandes.

Os clientes têm acesso às frutas, verduras e outros produtos que, durante o período de chuva, acabam se perdendo dentro das comunidades. Alguns agricultores reclamam que as más condições dos ramais e a lama em períodos de chuva acabam reduzindo o lucro das vendas.

O agricultor Manoel Nunes, de 52 anos, é morador da Comunidade Alto Pentecostes. Durante o período chuvoso do ano ele chega a gastar mais de duas horas até Cruzeiro do Sul. Com a estiagem e a recuperação do ramal o mesmo trajeto é feito em 40 minutos.

“A gente chega e o limão, inhame e outros produtos estão todos frescos, não temos problemas nenhum. E no inverno é enfrentamos os atoleiros, o carro quebra, é aquele negócio”, finaliza.

Fonte: G1