Estudantes bloquearam a entrada e saída dos servidores da sede do Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária (Incra) no fim da manhã desta quarta-feira (16), em Belém. Aproximadamente 100 universitários participaram da manifestação. Eles reclamavam contra o corte de verbas das bolsas de estudos do Governo Federal.

Todos são atendidos pelo Programa Nacional de Educação da Reforma Agrária (Pronera), que repassa ao beneficiados uma renda para poder estudar. O programa possibilita o acesso de quilombolas, ribeirinhos e trabalhadores rurais ao ensino superior.

A superintendência do Incra, órgão que faz a intermediação do programa, conversou com os estudantes. Ela reconheceu que o orçamento da União tá apertado e disse que vai procurar negociar melhorias.

Programa

No Pará, 250 estudantes de nove municipios são atendidos em cursos na capital e no interior. Outros 18 cursos de graduação foram aprovados para entrar no programa. Cada um recebe cerca de R$ 400 por mês para ajudar no aluguel, transporte, alimentação e material didático.

Porém segundo os estudantes, o repasse diminuiu. De acordo com eles, em 2016 foram R$ 30 milhões investidos, mas em 2017 o valor caiu para R$ 17 milhões.

Fonte: G1