Através de denúncia anônima, a Delegacia de Meio Ambiente (Dema) identificou que uma floresta de preservação permanente do Amapá está sendo desmatada. A suspeita é que as árvores foram cortadas para abrir novos caminhos, criando ramais que ligariam as margens do rio Pedreira à rodovia AP-070.

Quatro pessoas são suspeitas de cometerem o crime ambiental na região que fica na comunidade Lontra da Pedreira, distante a 36 quilômetros da Zona Urbana de Macapá. A investigação aponta que um mandante contratou três pessoas para derrubarem as árvores, o que facilitaria o acesso à rodovia para moradores de propriedades privadas, como sítios e chalés.

De acordo com o delegado Sávio Pinto, titular da Dema, o prejuízo ambiental é grande. Ele destaca que a investigação será intensificada para indiciar os responsáveis.

“É um desmatamento muito acentuado. São 800 metros de desmatamento com largura que varia de 25 a 30 metros. Então, é uma destruição inaceitável”, explicou o delegado em entrevista à Rede Amazônica no Amapá.

Para Sávio Pinto, as pessoas ousam em cometer o crime de desmatamento sem medo por causa da pena aplicada, considerada baixa. O delegado ressaltou que denúncias de crimes ambientais podem ser feitas pelo telefone (96) 99132-0777.

“Muitas vezes as pessoas fazem isso em função da pena que é muito baixa. Esse crime é punido com uma detenção de um a três anos. Talvez isso estimule, pensando que não ficará preso então acham fácil desmatar, mas existem consequência de ordem penal e administrativa”, disse.

Fonte: G1