O excesso de velocidade foi a infração mais cometida no Pará em 2016, segundo dados revelados ontem, pelo Departamento de Trânsito do Estado (Detran). De acordo com o órgão, foram lavrados 1.101.921 autos de infração no Pará, no ano passado, o que representa um aumento de 22,65% em relação a 2015, quando foram lavrados 898.409 autos. Belém ficou em primeiro lugar, com 394.839 registros, seguida dos municípios de Ananindeua, 122 mil, na Região Metropolitana; e Parauapebas, 80 mil, no Sudeste paraense.

INFRAÇÕES COMUNS

Segundo o setor de estatística do Detran, as três infrações mais recorrentes pelos condutores, no Pará, em 2016, foram: transitar em velocidade superior à permitida até 20% (infração média), com 404.450 registros; seguida do avanço do sinal vermelho (infração gravíssima), com 202.584; e transitar em velocidade superior à permitida a mais de 20% até 50% (infração grave) com 79.162 mil registros.Em Belém as infrações mais cometidas foram: transitar em velocidade superior a 20% (infração média), com 164.603; seguida do avanço do sinal vermelho (infração gravíssima), com 135.156; e transitar em velocidade superior à permitida mais de 20% até 50%, com 27.158 infrações. Na capital, as ocorrências somaram 7.209 infrações por não uso do cinto de segurança, a oitava mais registrada em 2016, no ranking das infrações.

BEBIDA E CELULAR

O consumo de bebida alcoólica registrou em 2016 o total de 585 acidentes, dos quais 374 resultaram em feridos e 37 em mortes pelo uso da substância proibida na condução de veículo. Ainda no cenário de infrações, o uso de celular ao volante chegou a ocupar o 13º lugar em 2015, com 12.779 ocorrências, mas caiu para 19º no ranking até meados de 2016, mais precisamente o mês de agosto, quando foram registrados 6.491 casos, contra 9.579 do mesmo período de 2015. Desde novembro de 2016 usar celular ao volante passou do grau médio para gravíssimo, e o valor da multa saltou de R$ 191,54 para R$ 293,47. De quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), falar ou manusear o celular ao dirigir soma agora sete pontos.

CINTO DE SEGURANÇA

Em todo o ano passado, foram registradas 29.354 infrações de não uso do cinto de segurança, no Pará.

Fonte: Diário do Pará