A quantidade de consultas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Macapá foi reduzida por causa da falta de médicos especialistas e outros profissionais no quadro de funcionários. As áreas mais afetadas são ginecologia, pediatria e ultrassonografia.

A prefeitura da capital informou que vai lançar um edital para a contratação do serviço de ultrassonografia, com o objetivo de suprir a necessidade nas UBSs. A instituição não se manifestou sobre as demais áreas.

Entre as unidades atingidas com a falta de médicos, está o posto de saúde do bairro Perpétuo Socorro, onde falta ginecologista, assim como na UBS do bairro Cidade Nova, onde falta, além de ginecologista, pediatra. No bairro Santa Inês, a unidade que atende a região está sem ultrassonografia.

De acordo com o secretário adjunto de Saúde de Macapá, Eldren Lage, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Município criar um vínculo com os médicos, sendo que eles tiveram que abrir mão de plantões, por causa do conflito de horários.

“Todos os profissionais, que assinaram contratos de 20 horas, devem trabalhar de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, ou das 14h às 18h. Então, quem tinha vínculo com o governo e prefeitura teve que optar por apenas um, com isso, Macapá tem perdido alguns profissionais”, justificou.

A administração municipal informou que possui um quadro com 43 médicos efetivos e cerca de 200 contratados.

Fonte: G1