A Fundação Hemopa convoca com urgência doadores de todos os tipos sanguíneos para suprir estoque de sangue do hemocentro, que tem a responsabilidade atender integralmente a demanda transfusional de mais de 200 hospitais espalhados pelo Pará. As doenças ocasionais do período chuvoso, que inabilitam temporariamente a doação de sangue, associadas às intensas chuvas, que dificultam acesso ao serviço, são alguns dos fatores que estão provocando a queda de mais de 30% no número de coletas.

“Peço para que as pessoas que ainda não doaram sangue que venham ao Hemopa e salvem vidas, porque sem sangue meu filho e outros pacientes não sobrevivem”, diz a auxiliar Rosilda da Paixão, 39, mãe de Reinaldo Dean Paixão Souza, 15, que há dois anos recebe tratamento no hemocentro para anemia aplástica (insuficiência da medula óssea que reduz a produção de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). Ele já está há dois anos na fila para transplante de medula.

O equilíbrio entre a demanda e a oferta de sangue seria alcançado com a média diária de 350 coletas de bolsas de sangue, que fracionada em hemocomponentes, corresponde ao atendimento médio de 1,4 mil pacientes. Sem crises, na sede do hemocentro, em Belém, as doações de sangue variam entre 250 a 200 coletas.

Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.

Serviço
A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações: 0800-2808118.

Fonte: G1