Servidores do Laboratório Central do Estado do Pará (Lacen) paralisação as suas atividades nesta segunda-feira (17), em Belém. Eles cobram o reajuste do salário mínimo, que ainda não foi repassado, e a extensão do adicional de risco de vida para todos os funcionários do laboratório, além de serem contra a reforma da Previdência.O G1 entrou em contato com a Sead e aguardo o posicionamento do órgão.

De acordo com a Terezinha Moraes, uma dos organizadores da manifestação, a intenção do movimento é para alertar a população de que o servidor público não está sendo respeitado, principalmente com o não reajuste do salário mínimo e com o aumento da contribuição para a aposentadoria e também do plano de saúde.

“Os servidores do Lacen estão com os salários defasados. O Governo não realizou o reajuste salarial que deveria ter vindo agora em abril. As contribuições para o plano de saúde e para a aposentadoria aumentaram e o nosso salário não foi reajustado, com isso uma fatia maior de descontos aconteceu ao nosso salário. Estamos lutando também para que todos que trabalham no Lacen recebam o adiconal de risco de vida.”, disse Terezinha.

A organização informou que esta paralisação é a primeira até a próxima quarta-feira (19), quando acontece a paralisação geral dos servidores públicos do estado do Pará.

“Estamos aqui para mostrar a nossa insatisfação. Mas também para informar à sociedade das irresponsabilidades que o poder público está cometendo com os servidores. Amanhã (terça-feira, 18) programamos uma paralisação da avenida Almirante Barroso, em frente à Secretaria de Estado de Administração (Sead), às 14h. E estaremos presentes na greve geral dos servidores do estado, no dia 19 (quarta-feira), na praça da República, às 9h”, concluiu Terezinha Moraes.

Fonte: G1