Quatro pessoas permanecem presas após a Operação Hefesto da Polícia Federal no Acre (PF-AC), que investiga servidores da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deflagrada no último dia 13 de agosto. De acordo com a polícia, três pessoas que tinham apenas a prisão preventiva decretada foram liberadas.

Ao G1, a PF e o Instituto e Administração Penitenciária no Acre (Iapen-AC) informaram nesta segunda-feira (17) que não poderiam divulgar os nomes das pessoas que permanecem presas.

Operação Hefesto

A operação foi deflagrada no dia 13 de setembro. Ao todo, foram cumpridos 24 mandados, sendo sete de prisão e mais 17 de busca e apreensão nas cidades de Rio Branco, Xapuri e Sena Madureira.

Ainda segundo a polícia, essa fase da operação investiga servidores da Aleac. A PF-AC ressaltou que esses servidores não são parlamentares.

O grupo criminoso teria fraudado contratos públicos. Eles também são investigados por tentativa de suborno a servidores da Justiça do Trabalho para que o esquema criminoso não fosse descoberto.

Mais dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos no dia 14 de setembro. A PF e apreendeu documentos e computadores da Aleac. A ação ocorreu durante a 2ª da Operação Hefesto.

 Fonte: G1