Ter que lidar com um idioma e cultura diferentes são alguns dos desafios que os estrangeiros encaram em um novo país. Conquistar a possibilidade de um emprego formal também é uma conquista. O Ministério do Trabalho emitiu cerca de 100 autorizações para imigrantes trabalharem no mercado formal no Amapá, no período entre 2011 e 2016.

Os dados fazem parte do Relatório Anual 2017 sobre a inserção de estrangeiros no mercado de trabalho no país, divulgados pelo Ministério do Trabalho.

De acordo com o relatório, 2015 foi o ano que mais houve autorizações emitidas no estado (28). No último ano contabilizado, 2016, foram 15 autorizações para imigrantes.

Em todo o país, o número de formalização de estrangeiros no mercado de trabalho formal apresentou diminuição pela primeira vez na década, passando de 127.166 em 2015 para 112.681 em 2016, uma diferença de 13%.

Italiano, o chef de cozinha Orazio Cattani, de 56 anos, obteve a autorização para trabalho formal em 2014. Após trabalhar em países como França, Espanha e Indonésia, ele escolheu Macapá para morar e abrir um restaurante, que alia a alta gastronomia com ingredientes da Amazônia.

“Eu cheguei e tinha visto de turista. Conheci minha mulher e meu objetivo era que voltaríamos para a Itália. Mas, por ela ter filha estudando, decidi ficar e morar aqui. Fui atrás da permissão permanente e consegui formalmente em 2014, quando abrimos o restaurante”, contou Cattani.

Fonte: G1