A dez dias da estreia do Clube do Remo no Campeonato Paraense, os azulinos disputam hoje, às 20h, o último amistoso em preparação para o estadual, no estádio Maximino Porpino. A equipe comandada pelo técnico Josué Teixeira encara outra vez o Castanhal. Os dois times já se enfrentaram na semana passada, quando o Leão goleou por 4 a 0, no Souza.

 O Remo realizou a última movimentação ontem, no Baenão. A onzena que vai a campo hoje contra o Japiim terá algumas mudanças em relação à que iniciou os últimos dois amistosos. O lateral-esquerdo Jaquinha, com virose, e o meia Flamel, poupado, não foram nem relacionados. Eles serão substituídos por Caio Ribeiro e a Edicleber. Já o zagueiro Zé Antônio, principalmente por questões físicas, também não foi relacionado e perdeu a vaga para Tsunami, que tem feito boas partidas, inclusive marcando gols.

 Já o time da Cidade Modelo também trabalhou na tarde de ontem. O treinador Samuel Cândido espera que o time tenha um rendimento superior ao do primeiro encontro, quando o Leão foi dono do jogo e goleou os castanhalenses, já que a equipe teve mais tempo para se preparar.

 Será mais uma boa oportunidade para os treinadores avaliarem suas equipes antes do início do Parazão.

Atacante tenta manter a sua média positiva de gols

 Entre os contratados do Remo para esta temporada, o atacante Edgar já começou a se destacar nos amistosos com gols. Com um futebol leve e boa movimentação, ele vem confirmando as boas referências que foram passadas na chegada dele ao Leão.

 Em dois jogos que disputou, o jogador já mostrou seu faro de artilheiro, balançando as redes três vezes. “Estou tendo a oportunidade de treinar bastante e também de mostrar o meu serviço. O professor vem me dando oportunidade, estou conhecendo os jogadores e isso é muito importante. Estou fazendo os gols e só tenho que agradecer a todos”, ressaltou o atleta.

Edgar é um jogador que atua pelos lados do campo e, mesmo assim, costuma balançar as redes com frequência. Apesar de ser artilheiro, o atacante conta que também serve os companheiros. “Eu sou aquele tipo de atacante que joga bem pelos lados de campo. E quando tem a oportunidade, empurro a bola para as redes. E quando não tem, procuro o meu companheiro melhor colocado para fazer o gol. Quando um faz, todo mundo ganha”, finalizou o atacante.

Fonte: Diário do Pará