O Comando de Operações Especiais (Coe) da Polícia Militar (PM) isolou a área no entorno de uma agência bancária de Porto Velho, na manhã desta quinta-feira (19), para desarmar um artefato utilizado em uma tentativa de explosão a caixas eletrônicos do banco nesta madrugada. Os militares detonaram o explosivo dentro de um buraco feito no canteiro central da Avenida Nações Unidas.

O trecho entre a Avenida Amazonas com Nações Unidas até a Rua Salgado Filho foi isolado pela equipe policial.

O capitão da Coe, Henrique Barbosa, explica que o esquadrão de bomba do Comando chegou ao banco e realizou uma vistoria inicial. Na ocasião, foi constatado que havia um explosivo tipo emulsão, que geralmente é utilizado em pedreiras para perfurar rochas, pronto para detonar, mas por algum motivo a tentativa de explosão foi frustada.

O militar relata que o artefato é sensível e pode ser detonado com facilidade. “Qualquer aproximação ou por até energia do corpo ele [explosivo] pode ser acionado. Fizemos os procedimentos de contenção, o isolamento da área e os procedimentos de remoção e contracarga”, disse.

Os militares retiraram o explosivo de dentro da agência e colocaram dentro de um buraco no canteiro central da Avenida Nações Unidas, onde está localizado o banco. Foi instalado um dispositivo no artefato para poder ser acionado à distância e enfim desarmá-lo.

Conforme o capitão, caso os suspeitos tivessem obtido êxito na explosão, os danos poderiam atingir além do caixa eletrônico. “O potencial do explosivo era bastante grande. Com certeza se acontecido dentro da agência, não só teria detonado o caixa eletrônico como também boa parte da agência teria ido abaixo”.

Segundo a PM, criminosos invadiram a agência nesta madrugada para tentarem explodir os caixas eletrônicos. As portas do banco foram danificadas e o explosivo foi depositado nos equipamentos. Entretanto, a tentativa foi frustrada e os suspeitos fugiram e ainda não foram identificados.

Funcionários da agência foram impedidos de entrar no banco e aguardaram do lado de fora a conclusão do procedimento. Após a detonação do artefato, a agência bancária foi liberada para a Polícia Civil realizar a perícia.

Fonte: G1