O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou nesta quinta-feira (19) a multa aplicada pela União Europeia ao Google, acusando o bloco europeu de “se aproveitar” do seu país.

“Eu disse a vocês! A União Europeia acaba de aplicar uma multa de 5 bilhões de dólares a uma de nossas grandes empresas, Google. Eles realmente se aproveitaram dos Estados Unidos, mas não por muito tempo!”, disse no Twitter.

A União Europeia (UE) anunciou na véspera uma multa recorde de 4,34 bilhões de euros (cerca de R$ 19,5 bilhões) contra o Google por violação das regras de livre concorrência. A empresa é acusada de abusar da posição de liderança do seu sistema operacional para smartphones e tablets, o Android, com o objetivo de garantir a hegemonia de seu serviço de busca on-line.

A Comissão Europeia determinou ao gigante americano de tecnologia que “ponha fim às suas práticas ilegais nos próximos 90 dias”, sob pena de novas multas, “que podem ir a até 5% da média mundial do volume de negócios diário da Alphabet”, a empresa-mãe do Google.

A UE também rejeitou os argumentos do Google, que citou a Apple como concorrente dos dispositivos Android, dizendo que a criadora do iPhone não garante uma competição por causa dos preços elevados que cobra e dos custos de troca de plataforma incorridos pelos usuários.

Trata-se da maior multa já imposta pelas autoridades antitruste da União Europeia. O Android é o líder de mercado e é usado em cerca de 80% dos smartphones em todo o mundo.

O Google anunciou que irá recorrer na justiça contra a multa imposta pelo órgão europeu.

A comissária de defesa da concorrência da UE, Margrethe Vestager, negou que a disputa comercial tenha relação com a decisão da multa contra o Google. Ela disse gostar bastante dos Estados Unidos, rebatendo comentários do presidente norte-americano Donald Trump, de que ela “odeia” os EUA.

“O fato é que isso não tem nada a ver como eu me sinto. Nada a ver. Estamos apenas aplciando a lei de defesa da concorrência, fazemos isso no mundo e não fazemos com base em contexto político”, afirmou a comissária.

Na próxima quarta-feira, o presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, viaja para Washington para tentar desativar o conflito comercial com um presidente americano disposto a aumentar as tarifas sobre os veículos europeus.

Fonte: G1