300 discos importantes da música brasileira

Obra constitui um guia de consulta obrigatório para pesquisadores e amantes da música em geral

Depois de uma espera de quase quatro anos adquiri em março de 2012, o livro “300 Discos importantes da Música Brasileira” lançado em 2008 pela editora Cabeça de Dinossauro. A obra, organizada por Charles Gavin, contou com uma minuciosa pesquisa e muito trabalho dos autores Carlos Calado, Tárik de Souza e Arthur Dapieve, para chegar ao formato ideal, com nada menos de 436 páginas, e imitando a capa de um Long Play (famoso LP ou disco de vinil).

O livro, idealizado e produzido para promover o resgate e a preservação da memória musical do país, no campo popular, coloca em discussão 300 discos que mudaram e continuam mudando a música brasileira. O produto final consiste em uma obra de arte de alta qualidade gráfica, com um amplo painel da música popular gravada no Brasil, entre os anos de 1929 e 2007.

A seleção dos títulos foi realizada de forma criteriosa por três jornalistas especializados em música: Tárik de Souza, Carlos Calado e Arthur Dapieve, que se alternaram nas resenhas dos discos. Embora envolvesse questões subjetivas na avaliação, qualquer número é insuficiente para expressar a grandeza e a riqueza de nossa música.

Os autores dividiram a obra em cinco capítulos, por períodos: gravações de 1929 a 1959 (31 títulos); gravações de 1960 a 1969 (77 títulos); gravações de 1970 a 1979 (104 discos); gravações de 1980 a 1989 (47 discos) e gravações de 1990 a 2007 (41 títulos).

Apesar das maravilhas que livro resgata, como discos de Noel Rosa, Dorival Caymmi, Ary Barroso, Tom Jobim, Cartola, Ataulfo Alves, Chico Buarque, Dolores Duran, Caetano Veloso, Edu Lobo, Luiz Gonzaga, e tantos outros gênios da nossa música, porém nem tudo são flores. Pelo menos em 20% os autores derrapam feio ao incluir nulidades como Tati Quebra Barraco, Raimundos e outras ruindades (questão de opinião), que jamais deveriam figurar no rol dos verdadeiros artistas citados acima.

Deixando este detalhe de lado, é um prazer folhear um livro com tamanha qualidade gráfica – parece que estamos manuseando diretamente os LPs reproduzidos em suas mais 400 páginas com fotos e textos sobre a música popular. Infelizmente, a maioria dos discos relacionados está fora de catálogo.

300 Discos Importantes da Música Brasileira tem 434 páginas, no formato 31 cm x 31 cm, as medidas de um LP e é fartamente ilustrado pelas capas de todos os discos, contando ainda com fotos inéditas, índices por nome do artista e por título do disco. Como bônus, dois CDs encartados de álbuns históricos de Moreira da Silva (O Último Malandro, de 1959) e Elza Soares (Baterista Wilson das Neves, 1968).


Por Humberto Oliveira