Governador Amazonino Mendes e vice Bosco Saraiva são diplomados pelo TRE-AM

Foram diplomados nesta segunda-feira (2) pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) o governador eleito Amazonino Mendes (PDT) e seu vice, Bosco Saraiva (PSDB). A sessão solene aconteceu no Tribunal de Justiça do Amazonas, na capital. Mendes irá ficar no cargo pelo período tampão, até o fim de 2018, já que José Melo, eleito em 2014, foi cassado por compra de votos. É a 4ª vez que ele ocupará o cargo no estado.

Amazonino e Saraiva foram eleitos no segundo turno da eleição suplementar ocorrida no dia 27 de agosto. O pleito foi determinado após a cassação do ex-governador de Amazonas, José Melo (PROS), e do vice, Henrique Oliveira (SD), por compra de votos nas eleições de 2014.

A diplomação dos eleitos está prevista nos artigos 215 a 218 do Código Eleitoral e marca o encerramento do processo eleitoral. O diploma expedido pela Justiça Eleitoral atesta a vitória dos eleitos nas urnas, tornando-os aptos a tomar posse. Sem o documento, o eleito não pode assumir o cargo, nem exercer o mandato.

A solenidade foi dirigida pelo Presidente do TRE-AM, Desembargador Yedo Simões, e contou com a presença do prefeito de Manaus Artur Neto, além de integrantes da Corte e de outras autoridades municipais, estaduais e federais.

Após a diplomação, o juiz da Corte Felipe Tury fez a saudação aos eleitos. Ele ressaltou o trabalho feito pelo TRE-AM para a realização do pleito. “Realizar o pleito no Amazonas é uma gigantesca operação, muito por conta das dimensões continentais do nosso estado. (…) Ao invés de 730 dias, como nos pleitos bienais, dispunhamos apenas de 95 dias para organizar a primeira eleição suplementar para governador da história do nosso país”, relembrou durante o discurso.

Depois foi a vez de Amazonino discursar. Ele saudou a memória e Gilberto Mestrinho e da esposa Tarsila. “É com muita honra que acabo de ser diplomado como governador do Amazonas pela quarta vez, eleito democraticamente. Agradeço, emocionado, essa demonstração de confiança, a quem realmente é o senhor dessa terra querida: o povo”, comentou.

Ao longo da sua fala, Amazonino ressaltou que é necessário retirar o estado do “caminhos que nos aproxima perigosamente” do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, no que diz respeito o atraso no pagamento dos servidores públicos.

“O longo período em que fiquei afastado da atividade política foi de larga reflexão e acompanhamento do caos que o Brasil foi jogado. (…) Vamos reerguer a capacidade de prestar bons serviços ao nosso povo, com prioridade aos menos favorecidos, garantir que servidores trabalhem com a tranquilidade de terem seus salários em dia e esforços reconhecidos. Vamos gerir as contas públicas com responsabilidade para garantir o dia de hoje e de amanhã”, completou.

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) anunciou a data da posse do governador eleito do Amazonas, Amazonino Mendes (PDT), e do seu vice, Bosco Saraiva (PSDB), para o dia 10 de outubro, às 10h.

Cassação de governador

O TSE decidiu no início de maio deste ano, por 5 votos a 2, manter a cassação do governador de Amazonas, José Melo (PROS), e do vice, Henrique Oliveira (SD), por compra de votos nas eleições de 2014.

A cassação já havia sido determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas.

A maioria dos ministros entendeu que houve compra de votos por uma assessora de confiança do governador, Nair Blair, flagrada dentro do comitê de campanha, com R$ 7.700, além de recibos e planilha que mostravam a destinação de dinheiro para eleitores.

No dia 22 deste mês, Tribunal Superior manteve a cassação. Novamente por unanimidade, os sete ministros da Corte rejeitaram os recursos apresentados contra a perda dos mandatos, decretada em maio.

Assim, o TSE também manteve a realização de nova eleição no estado, cujo segundo turno está marcado para este domingo.

A ação de cassação do governado e do vice foi proposta pela coligação adversária “Renovação e Experiência”, que tinha como candidato o atual senador Eduardo Braga (PMDB), derrotado no segundo turno.

 Fonte: G1