Após 11 anos, cursos da Universidade do Estado do AP são reconhecidos

Onze cursos de graduação oferecidos pela Universidade do Estado do Amapá (Ueap) foram reconhecidos e a instituição foi recredenciada pelo Conselho Estadual de Educação (CEE). As plenárias para homologar os procedimentos aconteceram desde o início de outubro e encerraram na quarta-feira (8).

Os relatórios feitos sobre os cursos e notas computadas por uma comissão foram entregues ao CEE em agosto para a possível validação. A universidade recebeu nota 3 como conceito institucional, num parâmetro de 1 a 5. Os conceitos dos cursos seguem essa mesma variação. Confira:

  • Engenharia de pesca – nota 4
  • Licenciatura em química – nota 4
  • Tecnologia em design – nota 4
  • Engenharia ambiental – nota 3
  • Engenharia de produção – nota 3
  • Engenharia florestal – nota 3
  • Engenharia química – nota 3
  • Licenciatura em ciências naturais – nota 3
  • Licenciatura em filosofia – nota 3
  • Licenciatura em letras – nota 3
  • Licenciatura em pedagogia – nota 3

A etapa final da avaliação começou em abril e encerrou em agosto, feita por uma comissão com 27 mestres e doutores de todo o país, convocados pelo CEE, que analisaram gestores, professores e acadêmicos, fizeram visitas técnicas nos prédios da Ueap, avaliaram a situação dos cursos, dos laboratórios, como é o incentivo à pesquisa, entre outras exigências.

A validação do trabalho e dos cursos da Ueap foi considerada uma vitória para a instituição de ensino. De acordo com o reitor da universidade, professor Perceu Aparício, o processo de reconhecimento deveria ter começado em 2009.

“Foi uma meta nossa terminar esse trabalho. Nosso grande problema é a infraestrutura que permanece a mesma de quando a universidade foi criada, com 5 cursos. Agora temos recomendações para que nos próximos 5 anos possamos avançar nisso. Tentando há 11 anos, isso foi realmente uma vitória para a universidade e para a sociedade”, comentou o reitor.

A Ueap foi recredenciada e recebeu recomendações de adequações na estrutura. Na cerimônia desta quarta-feira, realizada na sede do conselho em Macapá, o Aparício informou que estão previstas duas obras que devem suprir as necessidades atuais dos cursos.

“O crescimento da universidade vem sendo discutida com o governador desde o início do ano que já sinalizou a iniciativa de reformar o prédio atual e construir o centro tecnológico que já teve obra licitada, com recursos federais de R$ 48 milhões. As duas obras devem ser liberadas a partir de março de 2018”, informou Aparício.

Como o curso de licenciatura em música começou em 2015, ele só poderá ser avaliado a partir de 2018. A presidente do CEE, Madalena Mendonça, explicou que o atraso no reconhecimento dos cursos da Ueap foi em decorrência de dificuldades administrativas.

“Com base nos relatórios dos avaliadores é que o conselho começou o processo de reconhecimento. Isto demorou um pouco, porque não tinham normas estaduais de regulamentação das análises, houve um incêndio que queimou os processos, que depois foram remontados, e hoje estamos finalizando um ciclo de trabalho”, finalizou Madalena.

Universidade antes da avaliação

A Ueap foi fundada em 2006, com os seguintes cursos: engenharias florestal, de produção, de pesca e agronômica, e as licenciaturas em letras, química e pedagogia.

Aprovados pelo Conselho Superior da Ueap (Consu), os cursos e a instituição foram apresentados para o CEE para validação em 2007. Atualmente, a universidade tem 12 cursos e, desde 2015, foi proibida pelo CEE de criar mais cursos antes do reconhecimento.

Baseado na Resolução 084/2011, o conselho reconheceu em caráter excepcional os cursos, podendo emitir os diplomas, até que a instituição fosse recredenciada e, consequentemente, validada. Os alunos já formados desde 2011, portanto, não são prejudicados pela falta de validação, certificou o CEE.

Fonte: G1