Biometria facial registra 1,2 mil casos de uso indevido de carteiras em ônibus de Macapá

Implantado desde agosto no sistema de transporte urbano de Macapá, a biometria facial identificou mais de 1,2 mil casos de fraudes no sistema de bilhetagem eletrônica, onde pessoas usam a carteira de meia passagem ou passe livre de outros usuários indevidamente.

As informações são do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap). O equipamento de reconhecimento é instalado junto às catracas e registra a imagem do usuário no momento em que ele valida a carteira do benefício junto ao cobrador.

Os principais casos de utilização irregular são de parentes ou amigos de beneficiários que usam a carteira de terceiros para obter os descontos, sendo a meia passagem, no caso de estudantes, e o passe livre, no caso de portadores de necessidades especiais e idosos.

O bloqueio do benefício é feito após a identificação da fraude, segundo o Setap. O sistema eletrônico da biometria envia para a entidade os registros dos casos suspeitos para avaliação, onde o aparelho compara as imagens do usuário e da pessoa que utiliza a carteira irregularmente.

“Quando o usuário entra no ônibus, a câmera começa a fazer imagem e o validador arquiva seis fotos dessa pessoa. Desses 1.200 usuários, só cerca de 10% vieram fazer o desbloqueio. Somente no feriado de 2 de novembro, foram mais de 200 usos indevidos”, expilicou Artur Sotão, diretor de bilhetagem do Setap.

Após o bloqueio do benefício, o usuário só é informado sobre a suspensão quando for passar novamente na catraca do veículo. Para regularizar a situação, ele deve procurar a sede do Setap no Centro de Macapá para desbloqueio, que libera a reutilização da carteira em até 72 horas.

É necessário o pagamento de multa no valor de 15 vezes o valor da tarifa vigente, atualmente em R$ 3,25.

“Esse número de irregularidades é alto. Porque houve uma campanha, a pessoa sabe que tem uma câmera, e que a imagem vai ser capturada e mesmo assim ela pede o cartão de outro, é assumir que esse benefício será bloqueado”, completou o diretor de bilhetagem do Setap.

A entidade alerta ainda para o uso do passe livre pelos idosos, que apesar de terem a gratuidade garantida por lei, podem emitir uma carteira no Sindicato que dará a direito à passagem pela catraca, possibilitando que pessoa acima de 60 anos possa utilizar qualquer assento no coletivo.

Fonte: G1