Hospital no interior do Amapá capta água da chuva para manter atividades

A falta de água no município de Porto Grande, a 102 quilômetros de Macapá, tem afetado diretamente nas atividades exercidas no único hospital da cidade, segundo os moradores. Sem o serviço desde sexta-feira (16), os profissionais estão utilizando água captada da chuva para manter o funcionamento da unidade de saúde.

Segundo a Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), a situação está sendo verificada. A empresa informou que após o diagnóstico poderá falar sobre os serviços que devem ser realizados na região.

Um técnico em enfermagem, que preferiu não ter identidade revelada, conta que o problema mudou a forma de trabalhar no Hospital Maria Lúcia Guimarães Silva. Ele destaca que alguns serviços não estão sendo mais ofertados devido a necessidade da água, que não tem nas torneiras.

“Foi deixado de fazer curativo, esterilizar materiais e para ir ao banheiro temos que carregar água, que é captada da chuva. Esse problema tem gerado transtornos e constrangimentos. Os profissionais precisam lavar as mãos e não tem como”, reclamou.

O profissional da saúde relata que na segunda-feira (19) um carro-pipa abasteceu a unidade hospitalar, mas a distribuição de água ainda não foi normalizada. Alguns bairros localizados na região central de Porto Grande são os mais afetados pelo problema, conforme relato.

“Alguns bairros da região do Centro estão sem água potável. Outros, dependem de poços amazonas ou artesianos. Tem moradores que pegam água dos vizinhos para sobreviver. Mas distribuição ainda não foi normalizada”, reforçou o profissional.

Fonte: G1