Trânsito na BR-316 é interditado para instalação de nova passarela

A Secretaria de Transporte (Setran) começou nesta segunda-feira (5) a instalação da passarela no Km 3 na BR-316. O trabalho começa a partir das 22h quando a passarela será interditada ao pedestre. A partir das 23h o trecho no sentido Belém – Ananindeua – Belém, será interditado para o tráfego de veículos. Essa instalação acontece em dois momento, sendo que o primeiro momento acontece nesta segunda-feira (5) e o restante do trabalho na terça-feira (6).

O trânsito na via será interditado em dois pontos. Na curva da pétala a direita do viaduto do coqueiro no sentido Mário Covas – BR-316 e na BR-316 a altura de um posto de gasolina, desse ponto o trânsito será conduzido no sentido contrário da rodovia que passará a ter mão dupla até o retorno localizado em frente ao hospital Metropolitano. O acesso da rodovia Mário Covas a Belém será pelo sentido BR-316 Marituba seguindo em linha reta pelo viaduto até o retorno no posto de gasolina.

Na quarta-feira (6) a faixa dupla no sentido Belém – Ananindeua vai ser conduzida a partir do retorno do hospital Metropolitano até o retorno do posto de gasolina. A passarela será interditada, com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Departamento de Trânsito (Detran). A rodovia também será interditada.

A Setran também reforça que os moradores dos conjuntos Cidade Nova, Pedreirinha e Jardim Tropical deverão atender as orientações dos agentes de trânsito que estarão posicionados no local para que sejam feitas as conversões necessárias, isso porque esses três bairros ficam exatamente no trecho dos conjuntos.

Antecipação

A Setran divulgou na última quarta-feira (31) a antecipação para os dias 5 e 6 de fevereiro a instalação da nova passarela no km 3 da rodovia BR-316, em Ananindeua. O serviço estava previsto para iniciar somente após o carnaval.

Após denúncias das condições da passarela, um guindaste foi instalado para sustentar a estrutura. O equipamento, segundo a Setran, ia permanecer até o final do carnaval, quando as obras iniciariam. Ao G1, a Setran informou que o aluguel do guindaste teve custo médio diário de R$1 mil, ou seja, o valor final pago será de, no mínimo, R$45 mil.

Em dezembro de 2017, uma estrutura de ferro que sustentava um dos blocos de concreto da passarela caiu no meio de uma das pistas da BR-316. A estrutura era de dois metros de altura e poderia ter atingido algum veículo ou pedestre. Na época, muitas pessoas que utilizavam a passarela ficaram assustadas e pediram que o local fosse interditado.

Fonte: G1