Greve dos rodoviários chega ao quinto dia nesta segunda-feira

A greve dos rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba chega ao quinto dia nesta segunda-feira (23). Uma assembleia está marcada nesta manhã para decidir os rumos da greve. Na última sexta-feira (20), a Justiça do Trabalho considerou a greve abusiva com uma aplicação multa no valor de 10 mil reais caso a frota de ônibus não retornasse as suas atividades. Os rodoviários decidiram manter a greve. No sábado houve manifestações com o fechamento da BR-316, no trecho do quilômetro 3, durante uma ação da Polícia Rodoviária Federal.

A categoria pede 10% de reajuste salarial, R$ 700 em ticket alimentação e redução da carga horária de trabalho para seis horas diárias. “O aumento de tarifa foi quase 16% e eles não repassaram isso em momento algum renovando frota. Os ônibus são sucateados”, disse o rodoviário Vitor Modesto.

De acordo com a categoria, a Setranbel oferece entre 1,5% a 1,6% de reajuste. “Um percentual extremamente baixo – o mais baixo dos últimos 14 anos. O que significa um aumento de aproximadamente R$14 reais no salário do cobrador e R$23 reais no salário do motorista. Valores baixíssimos para que os trabalhadores que vivem em perigo constante de vida, sem plano de carreira e reconhecimento devido dos donos das empresas, além de definharem e perderam seus estados normais psicológicos e físicos, devido a excessivas e altas cargas horárias de trabalho”, destaca o Sindicato.

Desde a quinta-feira (19), 12 mil rodoviários estão parados atingindo cerca de 1 milhão de pessoas. O Sindicato das Empresas deTransporte de Belém informou que várias empresas estão com as garagens bloqueadas e que o motoristas que tentam sair do local tem os pneus esvaziados e são tirados a força dos coletivos. O sindicato dos empresários também informou que os dias parados não serão pagos.

Fonte: G1