Manutenção na Série C pode representar efetivação do ainda auxiliar Netão para o Parazão: “Questão de justiça”, diz diretor

Em uma temporada onde o Remo importou três treinadores – Ney da Matta, Givanildo e Artur Oliveira -, o prata da casa João Nasser, o Netão, vai conseguindo, até aqui, evitar um rebaixamento na Série C do Brasileiro que significaria uma tragédia para as pretensões do Remo em 2019. Porém, pelo menos oficialmente, Netão ainda é auxiliar e não treinador do Leão.

A assessoria de imprensa do Remo chegou a informar, depois da vitória contra a Juazeirense, que Netão havia sido efetivado como técnico para as seis últimas rodadas da fase de classificação da Terceirona. Porém, nas súmulas dos jogos disponibilizadas pela CBF, Simão Nasser João Neto aparece como auxiliar. O contrato com o cargo, caso existisse, deveria ser registrado no Boletim Informativo Diário (BID).

– Ele (Netão) está como auxiliar. A gente estava esperando os resultados para ver se efetivava. Hoje o Netão conquistou a vaga de treinador. Em tese, o campeonato pode terminar para o Remo no dia 11 (de agosto). Uma combinação de resultados e poderíamos nos classificar. Correríamos um risco de um rebaixamento e teria que haver uma rediscussão de contrato. O Remo permanecendo (na Série C), ele pode ser chamado para a efetivação e receber mais. Isso já aconteceu várias vezes no Flamengo, Corinthians… – disse o diretor de futebol azulino Milton Campos, em contato com a reportagem do GloboEsporte.com na noite desta segunda-feira.

GE