Sebastião Valadares diz que é candidato a deputado federal por Rondônia e pela família brasileira

O pastor Sebastião Valadares concedeu uma entrevista a este veículo de comunicação neste fim de semana e na oportunidade afirmou que é candidato a deputado federal com a missão, segundo ele, para defender os valores nos quais acredita, como o respeito à família e às instituições no tocante à ética e à moral cristã. Valadares afirmou também que, além desse compromisso em defender os valores do cristianismo, ele vai atuara incansavelmente pela liberação de emendas parlamentares e a busca de convênios com os entes da federação para que Rondônia tenha investimentos na saúde, na educação, em infraestrutura e também para outras áreas igualmente impostantes para o desenvolvimento de nosso estado.

Ministro evangélico, com chamado pastoral há 27 anos, ele é pastor presidente da Igreja Assembleia de Deus, Ministério de Madureira, em Rondônia. Ele nasceu em Santo Agostinho, Espírito Santo, em 1963. Sebastião Valadares pertence a uma família de pai e mãe mineiros, com 11 irmãos. Em Rondônia há cerca de três décadas, é casado com Misolange Pires e é pai de dois filhos.

Sebastião Valadares Neto também atuou como suplente de Senador da República por 04 meses, trazendo nesse curto período de mandato um total de 8 milhões de investimentos para a educação, saúde e transporte. “Agora, nosso objetivo é ser deputado federal e lá trabalhar junto com a bancada evangélica pela aprovação de leis que beneficiem o nosso sofrido povo brasileiro, mas ao mesmo tempo manter-se vigilante para não permitir que se aprovem leis que que desvirtue os nossos valores e prejudique a nossa liberdade de professar a nossa fé livremente sem a interferência maléfica daqueles o funcionamento das famílias dentro dos padrões estabelecidos por Deus para a Humanidade”, concluiu.

Ao falar sobre o declínio moral da maior parte dos políticos brasileiros, o pastor Valadares afirma que não se pode criminalizar toda a política por conta daqueles que não valorizam nem honram a ética e a moralidade. Ele lembra, inclusive, que já exerceu o cargo de senador e honrou a família cristã com uma atuação exemplar. “No Congresso existem políticos que representam vários segmentos da sociedade e vejo que há também a necessidade de nós, os evangélicos, termos nossa representatividade. Eventualmente se um ou outro se desvia do caminho do bem, não podemos desanimar e criminalizar a todos, indistintamente”, afirmou.