MP de Roraima cobra reforço policial em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela

O Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR) expediu recomendação para cobrar reforço policial em Pacaraima. Na fronteira com a Venezuela, a cidade virou rota de passagem para milhares de venezuelanos em fuga do país natal e moradores relatam aumento na violência. A informação foi divulgada nesta terça-feira (8).

A notificação foi endereçada ao secretário de Segurança Pública, Márcio Amorim no último dia 2. Ela cobra reforço no efetivo da Polícia Militar, viaturas, equipamentos e armas para garantir o policiamento ostensivo.

Além das melhorias na PM, a recomendação cobra ainda aquisição de viatura, materiais de expediente e instalação de internet na delegacia de Polícia Civil no município.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (Sesp) informou que foi notificada da decisão do MPRR no dia 4 e que vai cumpri-la dentro do prazo de 15 dias, conforme recomendação.

Segundo o MPRR, “a Polícia Civil em Pacaraima enfrenta dificuldades para realizar suas funções decorrentes da ausência de condições mínimas de trabalho, como a falta de papel, material de expediente, internet, local adequado para permanência de presos e de uma viatura para deslocamento de custodiados às audiências em Boa Vista”.

Em agosto do ano passado, o assalto de um comerciante foi o estopim para um protesto de moradores que destruiu acampamentos e expulsou cerca de 1,2 mil venezuelanos da cidade, o que levou o governo federal a enviar agentes da Força Nacional ao município.

De acordo com o promotor de Justiça Substituto de Pacaraima, Lincoln Zaniolo, a deficiência no efetivo da PM facilita a ação de criminosos e põe em risco a segurança e a vida dos moradores do município.

“O policiamento ostensivo é serviço indispensável para a repressão da criminalidade. São notórias as dificuldades enfrentadas pelo destacamento da Polícia Militar de Pacaraima, sobretudo, em razão do baixo efetivo policial”, destacou o promotor de justiça substituto.

Consta ainda na recomendação, conforme o MP, que em outubro do ano passado já havia sido requirido por meio de ofício enviado ao Comando Geral da Polícia Militar reforço policial para o município.

Fonte: G1