Após Copa Roraima, Sub-13 do Anzoátegui retorna à Venezuela e é liberado no bloqueio da fronteira

Por volta das 18h40 dessa quarta-feira (6), o ônibus com 18 crianças do elenco Sub-13 do Recreativo Anzoátegui atravessou a fronteira da Venezuela com o Brasil em Pacaraima (RR), que segue fechada.

A expectativa era de que a passagem, bloqueada por ordem de Nicolás Maduro, fosse permitida a partir de quinta-feira da semana passada (28), o que ainda não ocorreu.

Após chegarem a Pacaraima, Norte de Roraima, as crianças e os familiares tiveram que passar pelo posto de identificação do Exército Brasileiro, para a realização dos trâmites necessários, para entrar no país de origem.

Em seguida, uma representante do time, Milu García, foi até a faixa de fronteira com um militar brasileiro negociar a travessia com a Guarda Nacional Bolivariana.

– Houve muita colaboração da Guarda Bolivariana – disse.

A viagem ao Brasil começou na cidade em que o clube é sediado, em Puerto La Cruz, no Norte da Venezuela, e terminou 30 horas depois, devido à longa negociação para entrar em solo brasileiro, para disputar a Copa Roraima Infantil, em Boa Vista.

O clube não chegou a tempo do início da competição Sub-13, na última sexta-feira (1º), portanto, o jogo de estreia foi adiado para domingo (3). A equipe estreou com derrota para o Cruzeiro-RR, por 1 a 0, goleou o Du Nort Bulls-RR por 5 a 0, mas acabou eliminada na primeira fase ao perder por 2 a 0 para o Santos-AM.

– Ficamos em quarto lugar, mas nós nos sentimos vencedores. Aprendemos outros costumes, outro idioma e os jogadores se sentiram muito bem em representar a Venezuela – completou García.

 Fonte: GE