Pelo menos três casos de assalto a ônibus do transporte coletivo de Manaus foram registrados somente na noite desta terça-feira (20). Os crimes ocorreram em menos de uma hora, nas zonas Sul, Centro-Sul e Oeste da capital. Os motoristas afirmam que sentem medo diariamente nas ruas.

No primeiro assalto, ocorrido por volta das 20h, um homem usando uma faca rendeu a cobradora da linha 652 no Centro da cidade. O homem levou toda a renda do coletivo, e, em seguida, fugiu sem ser identificado.

Já no segundo caso, ocorrido por volta das 20h30, quatro homens armados renderam o motorista, a cobradora e os demais passageiros que estavam na linha 442. O condutor, que preferiu não se identificar, relatou ao G1 que o grupo entrou no coletivo no Terminal 4, situado na Zona Leste e que, ao chegar no bairro Parque 10, já na Zona Centro-Sul, anunciou o assalto. Toda a renda do ônibus foi levada, assim como os pertences dos passageiros. O grupo fugiu sem ser identificado.

O motorista diz ter medo durante o trabalho. “Eu fico sempre agoniado quando chego no Terminal 4. Saiu de lá, eu já fico nervoso com medo de anunciarem assalto”, comentou.

No terceiro caso, que ocorreu por volta das 20h40, três homens e uma mulher renderam todos que estavam no coletivo da linha 640. O motorista do veículo, que também não quis se identificar, relatou que o grupo entrou no coletivo no Terminal 1, no Centro de Manaus. Quando o veículo estava próximo à Avenida Max Teixeira, o grupo anunciou o assalto. O motorista foi obrigado a seguir em direção ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

“É sempre a mesma coisa. Era um jovem bem novo com uma faca enorme, enquanto o outro rendeu [o cobrador] com uma pistola, enquanto o casal, também armado, foi recolhendo os pertences. Eu pedindo calma e ele dizendo ‘bora bora motorista, anda’. [Com o cobrador], o cara ficava batendo a arma na bancada o tempo todo. Se essa arma dispara?”, indagou.

Assim como os outros dois casos, o grupo levou toda a renda do coletivo e vários pertences dos passageiros. O grupo fugiu por uma área de mata na Avenida Santos Dumont, na Zona Oeste e não foi identificado.

O motorista vítima do terceiro assalto conta que esta é a segunda vez que é roubado durante o trajeto em menos de um mês.

“Todo dia chega gente falando de assalto, principalmente na Torquato Tapajos. Antes eu não tinha medo, agora quando chega na Torquato eu começo a ficar nervoso, o coração acelera já com medo de assalto. Porque é sempre a mesma coisa, quando eles não entram no T1, eles entram na última plataforma da Torquato, antes de chegar na Max Teixeira”, relatou.

Fonte: G1