O Ministério Público do Acre instaurou um inquérito civil com a recomendação de que o governo do estado exonere agentes públicos condenados por ato de improbidade administrativa. A portaria foi publicada na edição desta quarta-feira (20) do Diário Oficial do Órgão.

Ao G1, o porta-voz do governo, Rogério Venceslau, afirmou que a decisão de exonerar ou nomear os agentes públicos é do governador. “Ele [Gladson Cameli] ainda não se manifestou, mas, com certeza, vai se manifestar”, disse.

Além da exoneração, o MP-AC recomenda que o governo não nomeie condenados por atos de improbidade. Segundo o órgão, existe a necessidade de salvaguardar a administração pública de agentes condenados.

Diretor-presidente do Acreprevidência

O MP-AC já havia emitido uma recomendação para a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) se posicionando contra a nomeação do ex-secretário Alércio Dias para o cargo de diretor-presidente do Instituto de Previdência do Acre (Acreprevidência).

O governador Gladson Cameli nomeou, no mês de janeiro, Alércio Dias para diretor-presidente do Acreprevidência. O ex-secretário foi condenado por improbidade administrativa quando era secretário de Educação do Acre, em meados de 1999.

Em reportagem publicada no último dia 14 de fevereiro, o governo informou que acompanha o caso e espera o desdobramento na Aleac. O governo garantiu que o presidente já foi afastado do cargo.

Fonte: G1