O Acre registrou um aumento de 65,85% no número de indenizações pagas por mortes no trânsito de janeiro a junho deste ano com o registro de 68 benefícios pagos após acidentes fatais. No mesmo período de 2016, o estado registrou 41 mortes. Os dados fazem parte do Boletim Estatístico da Seguradora Líder DPVAT divulgado na última quinta-feira (17).

Na região Norte, o Acre é o estado com o maior número de indenizações por morte. Em segundo lugar aparece o Tocantins com aumento de 61,9% e Amapá com aumento de 40%.

O relatório mostra também que o Acre teve uma redução no número de indenizações pagas por invalidez permanente. Em 2016 foram 620 pagamentos e este ano o número caiu para 454, uma redução de 26,77%, segundo a seguradora. De todos os estados da região Norte, o Tocantins foi o único que não apresentou redução nos casos de invalidez.

Já no caso de pagamento de seguro com despesas médicas e hospitalares, o Acre também apresentou aumento em relação a 2016. No ano anterior, foram pagas 19 indenizações nesse sentido, já este ano o número subiu para 29, registrando um aumento de 52,63%.

Dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) mostram que em maio deste ano a frota de veículos do Acre era de 252.125 mil. Desses, 130 mil são motocicletas, o que representa 51% do total da frota. Os automóveis são mais de 85 mil e representam 34% da frota.

Brasil

Conforme o DPVAT, no primeiro semestre de 2017 a região Sudeste concentrou a maior incidência dos acidentes com vítimas fatais (35%) com maior participação de automóveis (45%). A frota da região Sudeste representa 49% da frota nacional.

A região Nordeste concentrou a segunda maior incidência (31%), porém com maior participação de motocicletas que representaram 63% das indenizações por morte na região. O Nordeste concentra apenas 17% do total de veículos do país, sendo que a sua frota de motocicletas representa 28% da frota de motocicletas do país e 44% do total de veículos da região.

Fonte: G1