O canal da Mendonça Júnior, no Centro de Macapá, será espaço de uma intervenção artística inédita. Com gôndolas, artistas vão chamar a atenção sobre o problema de poluição no local. O trabalho faz parte do festival de performances ‘Corpus Urbis’, que inicia nesta quarta-feira (23).

Até sábado (26), a programação promete levar atividades que promovam a reflexão sobre problemas urbanos. Serão 48 artistas envolvidos em quatro modalidades, entre elas presencial, à distância, aplicação de lambe-lambe e mostra de vídeos. Essa é a terceira edição do evento.

Para a coordenadora do Corpus Urbis, Cristiana Nogueira, a intervenção “Venez(A)mazônia”, que vai acontecer a partir das 8h de sábado (26), relaciona as diferenças e semelhanças do canal situado na capital amapaense com os canais da cidade de Veneza, na Itália.

“A nossa intervenção trata do meio ambiente e faz uma analogia entre a Veneza, em que as gôndolas passeiam pela cidade da Itália com a canoa que vai tentar navegar pelo esgoto que é despejado no canal da Mendonça Júnior”, explicou.

Além do canal, as apresentações acontecerão em outros pontos públicos do Centro da capital e na Universidade Federal do Amapá (Unifap). Segundo a organização, o objetivo é incentivar a pesquisa e a produção artística no estado.

Outra intervenção que busca chamar atenção da sociedade amapaense será da artista brasiliense Natasha Albuquerque. Intitulada “Acerte o alvo”, a proposta é pintar os buracos de diversas ruas e avenidas de Macapá.

“Fazemos o Corpus Urbis desde 2015 e essa edição, especificamente, tem como característica ser parte na Unifap e pensar no campus como um espaço de cidade e entender as relações e aproximações que podem estar vinculadas ao dito público”, finalizou Cristiana.

Programação

1º Dia (23/08)

  • 8h – Colagem de lambe-lambe pela cidade
  • 14h – Mostra de vídeos – Galeria de Artes Visuais
  • 15h – Henrique Montagne (PA) – Acasos – em frente da reitoria da Unifap
  • 16h – Daniely Tavares (AP) – Amar.ras – Galeria do Curso de Artes Visuais / Débora Bararuá (AP) – O caos da representação – atrás do prédio do almoxarifado da Unifap
  • 17h – Fernado Hermógenes (MG) – Noetamento : 25/7 – Galeria do Curso de Artes Visuais

2º Dia (24/08)

  • 14h – Mostra de vídeos – Galeria do Curso de Artes Visuais
  • 15h – Flávio Gonçalves (AP) – Reprodução assexuada – Corredores do prédio de artes / Maurício Oliveira (PR) feat. Coletivo Tensoativo – Dividindo a cama platonicamente ou +/- – em frente ao Derca.
  • 16h – Ludmilla Redviva (PR) – Desfrute – Galeria do Curso de Artes Visuais
  • 17h – Mateus Pontes (AP) – Intercomunicação senimentais II – em frente a reitoria

3° Dia (25/08)

  • 14h – Mostra de vídeos – Galeria do Curso de Artes Visuais
  • 15h – Pedro Galiza (SP) – Coiote cego – próximo do ginásio
  • 16h – Gilmara Oliveira (MG) feat. Coletivo Tensoativo – Das vulvas do coração – em frente a reitoria / Waleff Dias (AP) – Mulher, eu sei – em frente a reitoria
  • 17h – Beatriz Cruz (SP) feat Coletivo Tensoativo – Desobstruir-se – Rodovia JK

4º Dia (26/08)

  • 8h – Coletivo Psicodélico (AP) – Venez(A)mazônica – Cana da Mendonça Júnior
  • 10h – Natasha de Albuquerque (DF) – Acerte o alvo – pelas ruas do Centro de Macapá / Dani Barsoumian (SP) feat. Coletivo Tensoativo – Projeto Deseidentidades / Sapatão na medida – rua no Centro de Macapá
  • 14h – Grupo Asfalto (MG) feat. Coletivo Tensoativo – Marcas Profanatórias – pelas ruas do Centro de Macapá
  • 16h – Encerramento – Rodas de conversa

Fonte: G1