Neste mês de setembro, um barco que partiu de Manaus com destino ao município de Maraã, a 165 km de Manaus, naufragou após bater em um tronco de madeira perto do encontro dos rios Purus e Solimões. As 35 pessoas, entre passageiros e tripulantes, foram resgatados com vida após o comandante conseguir conduzir a embarcação até a beira do rio. Este foi um dos 65 acidentes fluviais registrados no Amazonas do início de janeiro até o fim da última semana.

De acordo com informações divulgadas pela Marinha, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN), a maioria dos acidentes envolve embarcações de transporte de passageiros, esporte e recreio.

Ao todo, 61 acidentes ainda têm inquéritos em andamento em apuração pela Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC). Foram 71 registros nos rios do estado em 2016.

Segundo a Marinha, a maioria dos acidentes ocorre por imprudência dos condutores principalmente com balsas, empurradores, embarcações de transporte de passageiros, de esporte e recreio.

O excesso de passageiros ainda é uma das principais causas dos acidentes fluviais. Outras irregularidades constatadas são: ausência de material de salvatagem (salvamento), a falta de habilitação dos tripulantes e de documentação completa das embarcações.

Prevenção de acidentes

Segundo a Marinha, a fiscalização é realizada diariamente para evitar novos acidentes e flagrar irregularidades nos rios e lagos amazônicos.

“Para prevenir acidentes são realizadas Inspeções Navais, diariamente, por equipes da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) e suas Organizações Militares (OM) subordinadas, em suas respectivas Áreas de Jurisdição, que compreendem os Estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. Também, são promovidas palestras e cursos de formação de aquaviários, como forma de conscientizá-los a respeito das normas da Autoridade Marítima”, informou comunicado enviado ao G1.

Denúncias

Irregularidades em embarcações podem ser denunciadas pelo número 185 da Marinha ou via WhatsApp disponibilizado pela CFAOC (92) 99302-5040.

Fonte: G1