A prefeitura de Belém gasta R$ 2 milhões por mês para tirar entulho das ruas. O valor, pago com o dinheiro dos impostos recolhidos do contribuinte, serve para custear a remoção de restos de obras, pneus, caroços de açaí outros materiais que são recolhidos das vias, praças e canais da cidade.

De acordo com a prefeitura, 500 toneladas deste tipo de material são recolhida das ruas todos os dias, apesar da prefeitura ter mapeado 600 pontos para fiscalização constante contra o abandono destes itens.

Para tentar diminuir este índice, as secretarias de Saneamento, Meio Ambiente e Economia realizam uma operação de educação e combate ao descarte irregular em ruas e na margem de canais.

Apreensões
Na noite da última quarta-feira (25), duas carroças que estavam transportando entulho e caroços de açaí foram apreendidas no bairro do Jurunas. Um dos carroceiros, flagrado pela fiscalização, não tinha documentação e não quis se identificar. Ele foi liberado, mas teve a carroça apreendida.

“Iniciamos com ações de educação ambiental, conversando com os feirantes e moradores da área, orientando sobre os horários de coleta de lixo domiciliar e de entulho. Instalamos contêineres para ampliar os lugares onde o descarte pode ser feito de forma correta e segura. Ainda assim conseguimos flagrar pessoas descartando lixo em local impróprio”, disse Cláudio Mercês, secretário de saneamento em exercício.

Além das apreensões, a operação também está notificando comércio que desobedecerem as leis municipais de descarte de entulhos, como a vendedora de açaí Maria Santos que, após ser flagrada depositando os caroços batidos na rua, irá procurar um novo destino para o material. “Vou entrar em contato com uma cooperativa que faz o recolhimento para que eles venham buscar esses caroços”, disse a comerciante de 61 anos.

De acordo com a prefeitura, a operação irá primariamente orientar a população. Em caso de reincidência, quem for flagrado depositando entulho na rua pode pagar multa de R$ 610.

Fonte: G1