Governo do Estado de Rondônia

Projeto surgiu após um diagnóstico feito pelas gestoras da instituição: 80% dos 800 estudantes atendidos pelo Ceeja estavam desempregados

 

Nesta semana, em Cacoal, a diretoria do Centro Estadualde Educação de Jovens e Adultos Aída Fíbiger de Oliveira apresentou o “Banco de Emprego Ceejaída”. O projeto consiste na criação de um banco online de currículos, bem como a disponibilização de links aos usuários para a participação em cursos preparatórios para o mercado de trabalho.

A ideia é que em uma página virtual, os alunos do Ceeja de Cacoal tenham um cadastro, integrando o banco de empregos e também podendo participar de cursos Ead.

A Iniciativa do Banco de Empregos surgiu após as gestoras da instituição, Lucilene Gonçalves e Ilda Lumes, constatarem que 80% dos 800 estudantes atendidos pelo Ceeja em 2019 estavam desempregados,  e que 50% destes alunos estão em busca de emprego, mas não possuem nem cursos de qualificação e nem experiência em outros trabalhos.

“Este é um trabalho de cunho social, que será implantado com a finalidade de auxiliar nossos estudantes na busca por vagas de emprego existentes nos vários segmentos da economia local. A gente quer ampliar as oportunidades de sucesso profissional na vida dos nossos estudantes, auxiliando no sentido de oportunizar, por meio de uma ferramenta online, uma busca eficiente por vagas de emprego e qualificação”, explicou a diretora do Centro Estadual de Educação de Jovens e Adultos, Lucilene Gonçalves.

Neste projeto, o Ceeja já conta com o apoio da Faculdade Unesc, por meio do curso de Sistemas de Informações, que desenvolve uma página online para o projeto do Banco de Emprego Ceejaída. “É um projeto que a Unesc se propôs a fazer, de desenvolver um site que, entre outras funções, irá armazenar os currículos dos alunos do Ceeja, auxiliando na busca por emprego. O projeto já está sendo desenvolvido pelos acadêmicos do 8º período do curso de Sistemas da Informação”, explicou o coordenador do curso, professor Ideir Coto. O projeto também tem como parceiros a Secretaria Regional de Governo em Cacoal – Sepog, a Coordenadoria Regional de Educação, o Senai, Senac e Sebrae.

“A Sepog tem a missão de auxiliar o Ceeja no contato, na aproximação, com os empresários de Cacoal e de toda a região. O objetivo é apresentar este projeto para que eles conheçam o trabalho desenvolvido, conheçam o Banco de Empregos, reforçando a seriedade e o compromisso do governo Marcos Rocha com a educação e com o cidadão rondoniense”, destacou o secretário regional de governo em Cacoal, Celso Adame.

A nossa expectativa é que os empresários tenham no Ceeja um parceiro. Quando as empresas estiverem precisando de mão de obra, que o Banco de Empregos do Ceeja seja uma referência. Por isso, estamos buscando parcerias para preparar os nossos estudantes para a empregabilidade, durante e também depois dos seus estudos, seja através de workshops e cursos profissionalizantes”, destacou Ilda Lumes.

REDUÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR

Além de oportunizar o ingresso dos alunos ao mercado de trabalho, a iniciativa das gestoras do Ceeja promete ser uma forma eficiente de manter os alunos estudando. A taxa de evasão na instituição de ensino, nos últimos anos, chegou a alarmantes 80%. Neste ano, esse número já foi reduzido para 30% e a meta é reduzir ainda mais.

Equipe do Ceeja tem feito um acompanhamento individualizado junto aos alunos e promovido uma série de atividades e ações voltadas à redução da taxa de evasão escolar

“Antes, as turmas iniciavam com 30 alunos, mas apenas cinco chegavam ao fim. Então ao assumirmos a gestão, fomos procurando formas de reduzir essa taxa de evasão, de manter nossos alunos conosco, estudando”, explica Lucilene.

De acordo com a diretora do Ceeja,o primeiro passo foi fazer um acompanhamento mais individualizado junto aos estudantes. “Realizamos uma série de atividades, desde promover a participação nos aulões do Enem, visitas às faculdades para conhecer o ensino superior, promovemos a interação com alunos do ensino regular e também a integração entre os próprios alunos do Ceeja, realizando jantares, ações de lazer e entretenimento. Enfim, nós fizemos um verdadeiro acolhimento para que o aluno tenha vontade de vir ao Ceeja estudar”, enalteceu.

Dentro desta missão, de garantir o acesso,  a permanência e o sucesso dos estudantes no Ceeja Fíbiger de Oliveira, o Banco de Empregos entra como uma importante ferramenta na redução da taxa de evasão escolar. Além de ter a instituição oferecendo um ensino de excelência, formando pessoas solidárias, críticas e conscientes de seus direitos e deveres, o estudante vai ter no Ceeja um grande aliado na busca por um emprego.

“Para ser cadastrado no Banco de Empregos Ceejaída, os alunos precisam estar devidamente matriculados e em dia com os estudos e, para se manter no cadastro mesmo após deixar o Ceeja, ele precisa ter concluído o ensino. Ou seja, a gente se propõe a ser um forte aliado, desde que o estudante cumpra com as suas obrigações estudantis”, finalizou Lucilene Gonçalves