Duas belas obras do compositor alemão Johannes Brahms (1833-1897) serão executadas pela orquestra Amazonas Filarmônica, junto com o Coral do Amazonas, em mais uma apresentação gratuita da Série de Concertos, nesta quinta-feira (28), às 20h,  no Teatro Amazonas.  O evento, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC), tem uma hora de duração e será regido pelo maestro Otávio Simões.

A primeira será a Canção do Destino (Schicksalslied ), uma das principais obras do compositor para coro e orquestra. “É uma das melhores peças de Brahms, com duração de 17 minutos, baseado em um texto do poeta alemão Friedrich Hölderlin. O poema fala sobre o homem querer se comparar com os deuses. É muito bonito e muito bem escrito. Eu digo que Brahms era um arquiteto musical. Cada nota está escrita no lugar certo e o resultado disso é uma arquitetura de sons”, destaca o maestro.

A segunda peça do programa é a “Sinfonia nº2 em ré maior”.   “Eu acho ela muito bonita, começa super pastoral, tranquila e ele dizia que era a sinfonia preferida dele.  É a mais alternativa também. As mais famosas e tocadas pelo mundo são as sinfonias 1 e 4.  Aqui no Amazonas faz tempo que a gente não apresenta, certamente mais de 10 anos, então vai ser uma oportunidade para o público conhecer”, pontuou.

O  concerto encerra a programação de fevereiro da Orquestra Amazonas Filarmônica, que contou com uma série de concertos gratuitos, com obras de grandes compositores mundiais como Franz Schubert , Antonín Dvořák, Vivaldi, Mozart, Beethoven, Tchaikovsky, Villa-Lobos e Claudio Santoro.

Serviço

O quê: Concerto  Brahms: Canção do Destino e Sinfonia n.2 com Orquestra Amazonas Filarmônica e Coral do Amazonas
Quando: 28 de fevereiro , às 20h
Onde:  Teatro Amazonas
Quanto: Entrada franca
Público: livre

Programação Completa

Johannes Brahms (1833-1897)
Schicksalslied (Canção do Destino), op.54 (1871)

Sinfonia n.2 em ré maior, op.73 (1877)

I. Allegro non troppo

II. Adagio non troppo

III. Allegretto grazioso (quasi andantino)

IV. Allegro con spirito

CORAL DO AMAZONAS

AMAZONAS FILARMÔNICA

OTÁVIO SIMÕES, regente

Foto: Michael Dantas/SEC
Fonte: A Crítica