Cruzeiro do Sul anunciou, nesta quarta-feira (27), um projeto ousado: ser a primeira cidade do Acre autossustentável na geração de energia elétrica através da reciclagem do lixo produzido no município. Os diretores do Centro Brasileiro Para a Conservação da Natureza (CBCN) apresentaram o planejamento durante uma reunião com a prefeitura.

De acordo com a entidade, as tecnologias que serão usadas na usina que vai gerar energia a partir do lixo já foram definidas. A previsão é que o novo procedimento seja instalado ainda esse ano.

A entidade responsável pela limpeza pública do município disse que todos os estudos de viabilidade econômica e da qualidade dos resíduos já foram providenciados.

“Vamos tirar Cruzeiro do Sul do mapa do Acre e colocar no mapa do mundo. Com esse projeto, estaremos nos nivelando a cidades europeias, onde se recicla o máximo e o rejeito é convertido em energia e o que vai para o aterro é uma fração mínima”, garante Jocélio Araújo, diretor da CBCN.

Além de evitar o acúmulo da grande quantidade de lixo em aterro sanitário, a usina vai tornar o município autossustentável na produção de energia.

“Tivemos o cuidado de pesquisar todos os tipos de tecnologias e escolhemos uma que melhor se adequava a realidade de Cruzeiro do Sul, tanto do ponto de vista ambiental como econômico e que isso gerasse energia suficiente para atender a demanda do município com o valor e qualidade do lixo produzido aqui”, disse Araújo.

A representante da prefeitura garante que o projeto vai melhorar as questões sanitárias da cidade e pode levar o município a evitar a cobrança de impostos.

“Teremos grandes benefícios, principalmente na questão do lixo que vai deixar de ficar exposto a céu aberto, mas principalmente vai gerar uma economia de energia no município e vai afetar na taxa do lixo que futuramente poderá até chegar a ser zerada”, disse Ideocleide Lima, chefe de gabinete da prefeitura.

Desde 2017, a prefeitura estabeleceu um decreto que regulamenta o novo imposto sobre taxa de limpeza pública e institui valores diferenciados para cada tipo de imóvel. Porém, em 2019, o setor de tributação do município informou que será cobrada uma taxa única de R$ 25,90.

Fonte: G1