O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou nessa quarta-feira (26) uma instrução normativa que regulamenta a fiscalização e estabelece regras para a liberação da comercialização e exportação de frutos hospedeiros da mosca da carambola em Roraima.

O superintendente federal de Agricultura, Plácido Alves, explicou que 11 municípios de Roraima poderão exportar as frutas. Ficaram de fora o Bonfim, Pacaraima, Normandia e o Uiramutã. A instrução atinge todos os estados endêmicos da mosca da carambola que são Pará, Amapá e Roraima.

“A norma foi feita para criar a possibilidade de o produtor poder exportar seus frutos, mas o estado tem que atender as exigências da instrução. As principais são o funcionamento de barreiras 24h, o monitoramento das armadilhas que vão ser instaladas, o trabalho na contenção de pragas se houver, fiscalização no aeroporto”, disse. O estado tem 90 dias para atender as exigências.

A mosca da carambola atinge mais de 90 frutas. As principais são a carambola, manga, goiaba, amendoeira, jaca, taberebá, laranja, abiu, jambo, cajú, tomate, tangerina e maçaramduba.

“Acredito que na próxima safra de manga, que é em abril do ano que vem iremos poder exportar os frutos”, disse.

Conforme Plácido, o estado possui a restrição de exportação desde 2010. “Nesse período perdemos cerca de R$ 100 milhões. Esperamos que a instrução dê uma alavancada robusta na economia do estado e proporcione novos investimentos”.

O diretor de Defesa Vegetal da Agência de Defesas Agropecuária de Roraima, Luiz Cláudio Estrela, diz que a Aderr já está trabalhando para se adequar à instrução.

“Todos os agentes já estão treinados, porém, deve ser realizado um novo tipo de monitoramento nas áreas produtivas, de plantio comercial, e nas áreas urbanas, de plantio não comercial, conforme orientado na Instrução Normativa. Esse é um trabalho longo de adequação, visto que se trata de uma normatização extensa, mas que a Aderr já está colocando em andamento”, afirmou.

Fonte: G1