Dez municípios de Roraima estão em situação de risco ou alerta para surto de dengue, zika e chikungunya. É o que aponta o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) divulgado nessa terça-feira (28) pelo Ministério da Saúde.

O LIRAa leva em consideração o índice de infestação predial (IIP), que é a relação entre o número de imóveis onde foram encontradas larvas do mosquito e o total de residências pesquisadas.

No estado, apenas 13 cidades participaram do levantamento do Ministério da Saúde. Cantá e Boa Vista não enviaram os dados a tempo.

Prefeitura de Boa Vista informou em nota que os dados do último Levantamento de índice Rápido de Infestação por Aedes aegypt já foram encaminhados ao Ministério da Saúde.

“Foi solicitada uma confirmação da gerencial nacional para atualização do status da entrega das informações por parte do município”.

O G1 também tentou contato com a Prefeitura do Cantá, mas as ligações não foram atendidas.

Municípios de Roraima

Alto Alegre, Caroebe e Rorainópolis, estão em situação de risco de surto das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Isso significa que as casas visitadas nestas cidades tinham larvas do mosquito.

Já Amajari, Bonfim, Caracaraí, Mucajaí, Pacaraima, São João da Baliza e São Luiz estão em situação de alerta.

Apenas Iracema, Normandia e Uiramutã estão com índices satisfatórios.

Ações de combate

Em nota enviada ao G1, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) disse que as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti são operacionalizadas pelas gestões municipais.

Os três municípios em alto risco receberam, nas últimas semanas, nebulização por meio dos carros-fumacê, enviados pelo estado após solicitação dos gestores locais, segundo a Sesau.

“Ao longo do ano, o Estado vem apoiando os municípios neste combate, promovendo treinamentos de médicos e outros profissionais de saúde, assessoria técnica e apoio diretamente nas ações, articulando apoio do Exército e Corpo de Bombeiros”, disse a secretaria.

O que é o LIRAa?

O Mapa da Dengue, como é chamado o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti(LIRAa), é um instrumento fundamental para o controle do mosquito.

Com base nas informações coletadas no LIRAa, os gestores podem identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de depósito onde as larvas foram encontradas. O objetivo é que, com o levantamento, os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito Aedes aegypti.

Concentração dos focos

Segundo o Ministério da Saúde, a metodologia permite identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada município, além de revelar quais os principais tipos de criadouros, por região.

Os resultados reforçam a necessidade de intensificar imediatamente as ações de prevenção contra a dengue, zika e chikungunya, em especial nas cidades em risco e em alerta.

Fonte: G1