Até o momento, a Polícia Civil já instaurou 20 inquéritos, inclusive o relacionado ao policial da Ronda Tática Metropolitana (Rotam) morto no dia 20 de janeiro. Agora são oito delegados atuando nas investigações dos crimes ocorridos na Região Metropolitana de Belém nos dias 20 e 21. Ainda nesta segunda-feira (30), a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) encaminhará um documento à Superintendência da Polícia Federal no Pará oficializando o trabalho de cooperação.

O grupo de policiais continua analisando os laudos periciais de local de crime e imagens de câmera de segurança. Sob sigilo, algumas testemunhas já foram ouvidas. Não há previsão de novos depoimentos. Até o momento, nenhum suspeito foi identificado. Dos cinco pacientes que permaneciam internados, um morreu e os demais estão estáveis.

No último dia 24 de janeiro, em, reunião na Segup, foi definida a constituição de um grupo de acompanhamento das investigações sobre os homicídios. Assembleia Legislativa, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Ministério Público do Estado (MPE-PA) vão indicar representantes para oficializar a formação do grupo interinstitucional de acompanhamento das investigações da Polícia Civil.

Em resposta ao MPE-PA, sobre a maneira como serão feitas as investigações, o titular da Segup, Jeannot Jansen, explicou o andamento dos trabalhos, coordenados pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil, e informou sobre a atuação conjunta com o Ministério da Justiça. “Esse momento é para darmos transparência às nossas medidas. Estamos nos trâmites e já fizemos contato com a Secretaria Nacional de Segurança Pública para desenvolvermos o trabalho de investigação conjunto da Polícia Civil do Estado com agentes da Força Nacional”, explicou, na ocasião.

Fonte: Portal Amazônia, com informações da Agência Pará