Cerca de 142 militares de diferentes quartéis do Pará estão sendo enviados para Pacaraima e Boa Vista, no estado de Roraima. Neste sábado (29), o voo embarcou às 17h, com 52 militares, que seguem para uma ação com objetivo de cooperar com os Governos Federal, Estadual e Municipal com medidas de assistência emergencial para imigrantes venezuelanos em situação de vulnerabilidade.

De acordo com o Comando Militar do Norte, é a primeira leva de militares enviados para Roraima. No restante do ano, outras duas tropas devem ser encaminhadas para o estado e devem permanecer até janeiro de 2019.

A tropa deve ser empregada em diferentes missões, como segurança dos acampamentos, inteligência, logística e comunicação.

Levantamento

Um levantamento apontou que há venezuelanos vivendo em situação de rua em 10 das 15 cidades de Roraima. O mapeamento foi feito neste mês de agosto pela Força Tarefa Logística e Humanitária, criada em fevereiro pelo presidente Michel Temer (MDB) para lidar com o intenso fluxo migratório causado pela crise na Venezuela.

Segundo o levantamento, há mais de 1,5 mil imigrantes em situação de rua em todo o estado. A maior concentração é na capital Boa Vista, onde há 619 venezuelanos nas ruas, seguida por Pacaraima, município na fronteira, que tem cerca de 434 em igual situação.

Imigração venezuelana para Roraima

O estado recebe um crescente número de imigrantes desde 2015. Eles fogem, principalmente, da escassez de comida e de remédios na Venezuela e alguns percorrem até a pé os 215 quilômetros que separam Boa Vista da fronteira. No Brasil, pedem refúgio ou residência temporária à Polícia Federal.

Em 2017, o governo decretou situação de emergência por causa da imigração venezuelana, e no início deste ano o presidente Temer assinou um decreto reconhecendo a situação de vulnerabilidade do estado.

Fonte: G1